🖼️ Museu nacional na Itália: Pinacoteca de Brera em Milão


Dicas de Milão / Museus

Em novembro de 2014, visitei a Pinacoteca de Brera em Milão, dedicando uma tarde inteiramente a esse museu nacional. Aluguei um audioguia e passei cerca de três horas e quinze minutos a deleitar-me com obras de arte de artistas italianos e estrangeiros.

Tive a sorte de visitá-la em um sábado de pouco movimento e, às vezes, cheguei a ter algumas salas expositivas somente para mim! Uma verdadeira imersão cultural cara a cara com as obras-primas, sem ninguem para incomodar.

Por ser um dos principais museus nacionais italianos, a Pinacoteca de Brera requer tempo e concentração para que suas obras possam ser admiradas de forma proveitosa. Visite-a se você realmente tiver algumas horas para conhecer o seu enorme acervo.

Pinacoteca de Brera em Milão

Fachada do Museu de Brera em Milão.

Pinacoteca de Brera em Milão: um pouco de história

A Pinacoteca de Brera foi inaugurada em 1809 no palácio homônimo, onde hoje sedia também outras instituições culturais, como a Biblioteca Nacional Braidense, o Observatório Astronômico, o Horto Botânico, o Instituto Lombardo Academia de Ciências e Letras e a Academia de Belas Artes.

O palácio, construído sobre um antigo convento do século XIV, da ordem dos Humilhados, e, sucessivamente, passado aos Jesuítas que ali estabeleceram uma escola, teve a sua organização atual no início do século XVII sob projeto de Francesco Maria Richini, com completamento de Giuseppe Piermarini no século sucessivo.

Pinacoteca de Brera, Milão

Estátua de bronze de Napoleão Bonaparte representando “Marte pacificador”, feita por Antonio Canova. Encontra-se no pátio interno da Pinacoteca.

Um dos maiores museus da Itália

Grande parte das coleções é constituída por pinturas antigas provenientes de igrejas e conventos destruídos, sobretudo em idade napoleônica, porém o acervo foi incrementado continuamente graças a trocas, doações e compras.

A Pinacoteca, a qual nas últimas décadas comprou duas importantes coleções milanesas que contam com obras-primas do século XX, é considerada um dos maiores museus nacionais da Itália.

Pinacoteca de Brera, Milão


Percurso expositivo da Pinacoteca de Brera


Sala I: Afrescos lombardos dos séculos XV e XVI. Bramante, Luini.

Sala IA: Oratório de Mocchirolo, século XIV.

Salas II, III e IV: Pinturas italianas do século XIII ao XV. Giovanni da Milano, Andrea di Bartolo, Gentile da Fabriano, Stefano da Verona.

Salas V e VI: Pinturas vênetas do século XIV ao XVI: Bellini, Carpaccio, Mantegna, Vivarini.

Pinacoteca de Brera, Milão

Uma sala só para mim 🙂

Sala VII: Pinturas italianas do século XV. Bellini, Mantegna.

Sala VIII: Pinturas vênetas do século XV. Giovanni e Gentile Bellini, Vivarini, Cima da Conegliano, Mantegna.

Sala IX: Pinturas vênetas do século XVI. Ticiano, Veronese, Tintoretto.

Sala X: Coleções Jesi – Pinturas e esculturas do século XX. Boccioni, Carrà, De Pisis, Modigliani, Marino Marini, Medardo Rosso, Morandi.

Sala XI: Lascito Vitali. Arte egípcia, cicladense, românica, Morandi, Modigliani.

Pinacoteca de Brera, Milão

Afrescos.

Salas XII e XIII: Capela de São José e pinturas da Igreja de Santa Maria della Pace. Luini, Marco d’Oggiono.

Sala XIV: Pinturas vênetas do século XVI. Bonifacio Veronese, Savoldo, Moroni, Lotto, Bordon.

Sala XV: Pinturas e afrescos lombardos dos séculos XV e XVI. Foppa, Bramantino, Marco d’Oggiono, Gaudenzio Ferrari.


Quero receber a newsletter mensal de Viagem na Itália


Sala XVIII: Pinturas lombardas do século XVI. I Campi, Altobello Melone, Lomazzo.

Sala XIX: Pinturas sacras e retratos lombardos dos séculos XV e XVI. Bergognone, Cesare da Sesto, Luini, Solario.

Sala XX: Pinturas de Ferrara e emilianas do século XV. Costa, Cosmè Tura, Francesco del Cossa.

Pinacoteca de Brera, Milão

Parte do tríptico de Camerino. Obra de Carlo Crivelli.


Sala XXI: Polípticos da região Marche no século XV.

Políptico

 substantivo masculino
1    na Antiguidade, códice de diversas placas enceradas, sobre as quais se escrevia com um estilete
2    no baixo Império Romano e na Idade Média, registro dos bens de raiz
3    Rubrica: artes plásticas.
conjunto de quatro ou mais quadros independentes entre si, mas subordinados a um só tema
4    retábulo com vários compartimentos, fixos ou móveis

Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa


Salas XXII e XXIII: Pinturas de Ferrara e emilianas dos séculos XV e XVI. Ercole De Roberti, Garofalo, Dosso Dossi, Ortolonao, Correggio.

Sala XXIV: Pintura de Urbino no século XV. Piero della Francesca, Rafael Sanzio, Bramante.

Sala XXVII: Pintura na Itália central dos séculos XV e XVI. Genga, Bronzino, Viti.

Sala XXVIII: Pintura na Itália central do século XVII. Carracci, Reni, Guercino, Barocci.

Sala XXIX: Caravaggio e os caravagescos. Caravaggio, Gentileschi, Battistello.

Sala XXX: Pintura lombarda do século XVII. G. C. Procaccini, Cerano, Morazzone, Cairo.

Pinacoteca de Brera, Milão

Quadro de Bellini.

Sala XXXI: Pinturas flamengas e italianas do século XVII. Rubens, Van Dyck, Jordaens, Pietro da Cortona, Strozzi.

Salas XXXII e XXXIII: Pinturas flamengas e holandesas dos séculos XV e XVII. Jan de Beer, Rembrandt, Bruegel.

Sala XXXIV: Pintura sacra do século XVIII. Tiepolo, Subleyras, Batoni, Crespi.

Sala XXXV: Panoramas e pinturas venezianas do século XVIII. Piazzetta, Canaletto, Longhi, Bellotto.

Sala XXXVI: Retratos italianos e pinturas do gênero no século XVIII. Crespi, Certui, Fra Galgario.

Salas XXXVII e XXXVIII: Pinturas italianas do século XIX. Appiani, Hayes, Fattori, Pelizza da Volpedo.


 Leia também estas minhas outras dicas de Milão.


Pinacoteca de Brera, Milão


Informações sobre o Museu de Brera em Milão

 Via Brera, 28. Centro de Milão.

 Horário de funcionamento

Terça, quarta, sexta, sábado e domingo: 8h30 às 19h15.

Quinta-feira: 8h30 às 22h15.

A Pinacoteca de Brera fecha todas as segundas-feiras, 1º de janeiro, 1º de maio e 25 de dezembro.

 Entrada

10 euros (inteiro)

7 euros (reduzido)

Grátis para menores de 18 anos.

Entrada FRANCA no primeiro domingo de cada mês.

Audioguia em italiano, inglês, francês, espanhol e alemão. Preço: 5 euros.

A Pinacoteca dispõe de um serviço de guarda-volumes (não vigiado para bolsas e mochilas de pequenas dimensões). Não é possível guardar trolley e malas de grandes dimensões.

Site oficial da Pinacoteca de Brera (italiano e inglês).

Mapa da Pinacoteca de Brera em Milão

Mapa com as salas expositivas da Pinacoteca de Brera


Como chegar à Pinacoteca de Brera, Milão


Metrô: Linha 2 (Lanza) e Linha 3 (Montenapoleone)

Bonde: 1, 4, 12, 14 e 27.

Ônibus: 61


Assista a este vídeo com obras da região Marche na Pinacoteca de Brera


Serviços turísticos em Milão


*Esta postagem contém links de parceiros afiliados. Saiba mais sobre a Política de Monetização do blogue.


VIAGEM NA ITÁLIA

Desde 2003, sou residente em Riccione, um balneário turístico na região Emília-Romanha. No fim de maio de 2013, decidi tirar da gaveta a ideia de escrever um blogue com dicas de viagem na Itália, divulgando, assim, o maravilhoso patrimônio artístico, cultural e paisagístico que só este país pode oferecer. Estou também no Facebook, Instagram, Twitter e YouTube. Assine a newsletter mensal.

Comments

  1. […] 23º: Pinacoteca de Brera em Milão. Leia meu post Pinacoteca de Brera em Milão. […]

  2. […] que já estava na minha lista de atrações milanesas a serem conhecidas há algum tempo. Depois da Pinacoteca de Brera, a Pinacoteca Ambrosiana, obviamente, também conquistou a minha estima e […]

Deixe seu comentário ☺

error: