📓 Origem dos nomes das regiões italianas


Cultura italiana

A Itália, do ponto de vista político-administrativo, é dividida em vinte regiões.

Antes de ler sobre a origem de seus nomes, veja também o post Mapa da Itália: regiões e províncias.

Eis, abaixo, a origem dos nomes das regiões da Itália (lista não em ordem alfabética).

Origem dos nomes das regiões italianas

1) VALLE D’AOSTA/VALLÉE D’AOSTE

Valle d'Aosta, norte da Itália

Valle d’Aosta. Foto: italia.it

A origem deste nome é simples: a região é um vale, onde encontra-se a cidade de Aosta.

O nome Aosta deriva de Augusta Praetoria Salassorum, designação que os romanos deram à cidade fundada, segundo seus costumes, sobre o acampamento militar que tinha sido construído onde hoje surge a cidade de Aosta.

Esse acampamento fora construído após a conquista do vale, em 25 a.C., subtraindo-o da tribo gálica dos salassos.

2) PIEMONTE

Origem dos nomes das regiões italianas. Piemonte

Turim. Foto: mole24.it

O nome Piemonte aparece em latim nos mapas topográficos italianos, a partir do séc. XII, como “Pedemontium” ou “Pedemontis“, que significa “aos pés do monte”.

Essa definição tinha sentido em relação às propriedades feudais da família Savoia, futura família real italiana.

Na época, as propriedades dos Savoia consistiam essencialmente na região francesa homônima, a qual deu o nome à família, correspondente aos atuais departamentos franceses de Savoie e de Haute-Savoie.

A partir do século XII, os Savoia começaram a estender suas propriedades transalpinas até o sul dos Alpes ocidentais: próprio aos pés dos montes, e, então, Piemonte.

3) LIGÚRIA

Origem dos nomes das regiões da Itália. Liguria

Lerici, região Ligúria.

A Ligúria tem seu nome derivante do povo dos lígures, que viviam na Itália norte-ocidental já antes de 2000 a.C.

A teoria mais convincente sobre a origem dos lígures é que se trata de um povo pré-indo-europeu.

4) LOMBARDIA

Origem do nome Lombardia

Galeria Vittorio Emanuele, Milão.

A Lombardia tem seu nome derivante do povo germânico dos longobardos, que chegaram à Itália em 568 d.C.

Originariamente, o termo Lombardia referia-se a um território bem mais vasto que a atual região administrativa italiana.

5) TRENTINO – ALTO ADIGE/SÜDTIROL

Trentino Alto-Adige, norte da Itália.

Dolomitas no Trentino. Foto: turismo.it

O nome desta região é constituído de duas partes:

– O nome Trentino deriva de Tridentum, nome latino da cidade de Trento, que é a capital da província.

– O nome Alto Ádige foi criado em 1810 por Napoleão Bonaparte, soberano do Reino da Itália napoleônico entre 1805 e 1814.

O nome desse território foi cunhado à maneira dos departamentos franceses.

Este chamava-se “Departamento do Alto Ádige” (Départment du Haut-Adige) com referência ao fato que se estendia pela alta bacia hidrográfica do rio Ádige.

– Por sua vez, o nome Südtirol deriva do nome do medieval Condado do Tirolo (em alemão: Tirol), que tinha a sua capital em Tirolo/Tirol, perto de Merano/Meran, no Alto Ádige, e estendia-se até o norte dos Alpes, incluindo o Tirolo austríaco, e ao sul, incluindo o Trentino.

6) VÊNETO

O Vêneto tem o seu nome derivado do povo indo-europeu dos vênetos que, provindo da Europa central, chegou à Itália depois de 1500 a.C., junto com os latinos e outros povos itálicos

Os vênetos estabeleceram-se no Vêneto, enquanto os latinos prosseguiram até o Lácio.

Os vênetos são chamados também de paleovênetos para se distinguirem dos habitantes modernos da região.

7) FRIULI – VENEZIA GIULIA

Friuli-Venezia Giulia. Foto: turismofvg.it

O nome desta região é constituído de duas partes:

Friuli deriva de Forum Iulii, nome latino de Cividale del Friuli, capital do Ducado do Friuli a partir de 569.

O Ducado do Friuli foi o primeiro ducado que os conquistadores longobardos fundaram na Itália, provindo da Pannonia (por assim dizer, a atual Hungria), de onde tinham partido em 568 a.C.

– O nome Venezia Giulia foi criado pelo linguista italiano Graziadio Isaia Ascoli, na segunda metade do século XIX século, para definir uma área disputada entre austríacos, italianos, eslovenos e croatas, e submitida, várias vezes, a várias denominações e soberanias diferentes nos decênios posteriores.

8) EMÍLIA-ROMANHA

Centro histórico de Santarcangelo di Romagna, província de Rimini.

O nome dessa região é constituído de duas partes:

– O nome Emília deriva da Via Emília, estrada construída no II séc. a. C., por ordem do cônsul romano Marco Emílio Lépido, para ligar as cidades de Rimini e Piacenza e que, até hoje, é um dos principais eixos viários da região.

– O nome Romanha (Romagna) deriva do latim tardio Romània e remonta ao VI século d.C., quando a Itália, então sob o domínio do Império Romano do Oriente, foi invadida pelos longobardos que a ocuparam quase completamente.

Após essa invasão, a Itália foi dividida entre áreas sujeitas aos longobardos e área sujeitas ao Império Romano do Oriente, este denominado posteriormente, pelos historiadores modernos, Império Bizantino.

O termo “Romània” assumiu, então, o significado genérico de “mundo romano” em oposição àquele longobardo, terminando, assim, para indicar todos os territórios italianos que ficaram sob o domínio do Império Bizantino (isto é, alguns territórios espalhados pela Itália setentrional, central e meridional, mais a Córsega e a Sardenha, as quais, porém, não eram consideradas parte dos territórios italianos, mas, sim, daqueles africanos do Império Bizantino).

Os territórios italianos que ficaram sob o controle do Império Bizantino eram chamados Exarcado de Ravenna, do nome da cidade que era a sua capital.

Com o tempo, o nome Romània reduziu-se somente aos territórios circustantes à cidade de Ravenna, isto é, à atual Romanha.

Tours privados com guia brasileira autorizada na Emília-Romanha. Entre em contato AQUI.

9) TOSCANA

A Toscana tem seu nome derivado dos etruscos (que os romanos chamavam tusci, daí Tuscania e, então, Toscana), população que desenvolveu a mais importante civilização em solo italiano antes do advento dos romanos.

A civiliação etrusca influenciou profundamente aquela romana.

Os etruscos, que apareceram na história italiana por volta do VIII séc. a.C., eram, certamente, não indo-europeus, mas a sua origem é controversa.

10) ÚMBRIA

Origem dos nomes das regiões italianas. Úmbria

Gubbio, região Úmbria.

A Úmbria tem o seu nome derivante dos umbros, povo indo-europeu que chegou à Itália, vindo da Europa central, por volta do século XII a.C.

11) MARCHE

Urbino, Marche, centro da Itália.

Centro histórico de Urbino, Marche, centro da Itália.

O nome Marche começou a constituir-se no alto medievo quando, como parte do Sacro Romano Império-Germânico, o território regional foi chamado de “Marca de Ancona”, com referência à cidade mais importante daquele território e atual capital da região.

A Marca de Ancona nasceu da unificação de várias marcas, nome atribuído às unidades político-administrativas do Império, colocadas nos confins do mesmo, como era próprio o território de Ancona (as unidades político-administrativas não próximas dos confins do império eram chamadas de “condados”).

Isso explica a alternância entre a forma singular e aquela plural do nome no decorrer dos séculos.

No baixo medievo, o território da Marca de Ancona era já, por assim dizer, coincidente com a atual região administrativa.

Durante o Reino da Itália napoleônico, no início do século XVIII, os nomes “Marche” e “Marca de Ancona” tinham sido usados alternativamente para definir o território regional.

Com a anexação da Marca de Ancona à Itália, vem definitivamente denominada “Marche”, com um plural que sanciona a unidade fundamental, mesmo na riqueza dos aspectos locais.

Tours privados com guia brasileira autorizada em Gradara e em Urbino, terra de Rafael Sanzio. Entre em contato AQUI.

12) LÁCIO

Abadia de Casamari, Veroli, Lácio, Itália

Jardim externo da Abadia de Casamari, Veroli, Lácio.

O Lácio tem seu nome derivado dos latinos, povo indo-europeu que chegou à Itália, vindo da Europa central depois de 1500 a.C., e que se estabeleceu nessa região do centro da Itália.

Tours privados com guia brasileira autorizada em Roma e Vaticano.

13) ABRUZZO

Origem do nome Abruzzo, Itália central

Rocca Calascio, Abruzzo, centro da Itália.

O Abruzzo tem seu nome derivante da antiga população itálica dos pretuzos, que moravam na área da atual cidade abruzzese de Teramo, no 1° millennio a. C.

A região por eles habitada era chamada Aprutium, que significava “terra dos pretuzos”.

14) MOLISE

Origem dos nomes das regiões da Itália. Molise

Molise. Foto: ansa.it

O Molise tem seu nome derivado da família normanda De’ Moulins, que chegou à Itália, no século XI, depois do conquistador normando Roberto d’Altavilla, cognominado Roberto, o Guiscardo (astuto).

Roberto, o Guiscardo, com a benção do papa, expulsou os bizantinos e os árabes da Itália meridional e ali constituiu o normando Reino da Sicília.

Em virtude da fidelidade demonstrada e de sua vassalagem, em 1503, Roberto d’Altavila nomeou Rodolfo de’ Moulins como Conde de Bojano, povoação do Moliseu onde havia anexado um condado, cujo território era, por assim dizer, correspondente ao atual Molise.

O nome de’ Moulins foi italianizado em Rodolfo di Molisio, pelo qual o Condado de Bojano tornou-se noto como Condado da família de’ Molisio e, por conseguinte, Condado dos Molisio.

No decorrer dos dez séculos sucessivos, a Itália meridional e o Condado dos Molisio passaram por várias vicissitudes históricas e complicadas mudanças político-adminsitrativas, mas o nome Molisio perdurou até ser transformado em Molise, o nome da atual região político-administrativa da República Italiana.

15) CAMPÂNIA

Origem dos nomes das regiões italianas. Campânia

Palácio Real de Caserta, região Campânia.

O topônimo Campânia deriva do povo indo-europeu dos campanos, antigamente estabelecidos na área, e é de etimologia incerta.

As duas hipóteses principais são que este derivaria:

a) da comistão linguística entre o termo latino “campus“, que quer dizer “campo”, e o topônimo osco (isto é, da língua dos oscos, dos quais os campanos faziam parte).

“Kampanom“, com o qual se indicava a área nas redondezas da cidade de Cápua antiga, por séculos foi o centro principal da planície campana.

b) unicamente do termo latino “campus“, sem alguma comistão linguística: o nome Campânia coincidiria, assim, com o termo “campo”, como faria pressupor também a nota expressão “Campania Felix“.

Nesse segundo sentido, destaca-se que o substantivo latino “campus” tem próprio o significado de “planície, campo aberto”, o qual indicaria, juntamente com o clima favorável já conhecido, a fertilidade e a amenidade da área.

16) APÚLIA (PUGLIA)

Origem do nome Apúlia (ou Puglia), Itália

Farol de Ponta Palascìa, região Apúlia (Puglia), sul da Itália

A Apúlia (Puglia) tem o seu nome derivado dos iapigi ou apuli, povo indo-europeu que se estabeleceu na atual Apúlia setentrional por volta de 1000 a.C.

17) BASILICATA

Origem dos nomes das regiões italianas. Basilicata

Matera, Patrimônio UNESCO na Basilicata. Foto: Wikipédia.

O topônimo Basilicata é de etimologia incerta. As duas hipóteses mais convincentes são:

a) que esse derive do termo grego “Basilikos“, título com o qual, no alto medievo, eram chamados os governadores bizantinos da região.

b) que esse derive da Basílica de Acerenza, cujo bispo tinha jurisdição sobre uma área que correspondente aproximativamente ao atual território da Basilicata.

Note que hoje os habitantes da Basilicata são chamados de lucanos: os substantivos “basilicatesi” e “basilischi“, que estariam para indicá-los, são completamente desusados pelos italianos e não agradam aos próprios lucanos.

Os lucanos são o povo indo-europeu que chegou à atual Basilicata no V século a.C.

Próprio por isso, a área, por assim dizer, correspondente à atual Basilicata, foi chamada por séculos de Lucania desde a época romana.

18) CALÁBRIA

Origem do nome Calabria.

Calábria. Foto: italia.it

O nome desta região tem uma história bem interessante.

Em idade augustea, a Calábria atual era conhecida como Bruttium, do povo dos Bruzi, que ali morava na época.

Com a reforma administrativa requerida pelo Imperador Augusto, a Itália foi dividida em onze regiões administrativas numeradas. A atual Calábria fazia parte da “Regio III Lucania et Bruttii“, já que, em tal área, moravam as populações dos lucanos e dos bruzi.

Já a atual Apúlia fazia parte da “Regio II Apulia et Calabria“, topônimos etnogeográficos de origem pré-romana referentes aos antigos povos dos apuli, estabelecidos na atual Apúlia setentrional, e dos calabri, estabelecidos na atual Apúlia meridional (isto é, na península do Salento).

O transferimento do nome Calábria da extremidade sul-oriental da península italiana (Regio II Apulia et Calabria, as atuais Basilicata e Apúlia, por assim dizer) acontece no alto medievo, quando as duas partes da Itália meridional foram unificadas pelos bizantinos: o nome Calábria foi usado, então, para identificar também a velha Regio II.

Sucessivamente, com a perda das propriedades bizantinas da Apúlia em favor dos longobardos, o nome continuou sendo usado para designar somente a atual península calabrese, sendo mantido até hoje.

19) SICÍLIA

Origem do nome Sicília, ilha italiana.

Apreciando a vista da cratera de Vulcano.

A Sicília tem seu nome derivado dos siculos, povo indo-europeu que chegou à Itália depois de 1500 a.C., juntamento com os vênetos, os latinos e outros povos.

20) SARDENHA

Origem dos nomes das regiões da Itália. Sardenha

Praia na Sardenha. Foto: Divulgação.

A Sardenha tem o seu nome proveniente dos sardos, povo que se estabeleceu na ilha no II milênio a.C.

Não se sabe como esse antigo povo morava na Sardenha: talvez tenha chegado à ilha vindo do Mediterrâneo Ocidental.

É noto, porém, que na mesma época, nas costas da Sardenha, vivia uma população chamada shardana, a qual fazia parte dos assim chamados Povos do Mar, oriundos do Mediterrâneo Oriental.

Não é claro, contudo, se o etnômio “sardos” derive: do nome, para nós desconhecido, que os antigos habitantes davam a si mesmos; do nome dos shardana; ou se o antigo povo da Sardenha (que deu vida à denominada civilização nurágica) e os shardana fossem, na verdade, a mesma população.

Os sardos são chamados também de paleosardos para serem distinguidos dos habitantes modernos da região.

Quero receber a newsletter mensal de Viagem na Itália


*Fonte: Página FB de Impariamo l’italiano (tradução livre).

**Esta postagem contém links de parceiros afiliados. Saiba mais no F.A.Q. do blogue.


VIAGEM NA ITÁLIA

Desde 2003, sou residente em Riccione, um balneário turístico na região Emília-Romanha. No fim de maio de 2013, decidi tirar da gaveta a ideia de escrever um blogue com dicas de viagem na Itália, divulgando, assim, o maravilhoso patrimônio artístico, cultural e paisagístico que só este país pode oferecer. Desde 2018, trabalho como guia de turismo autorizada em Bolonha, Roma e Vaticano. Estou também no Facebook, Instagram, Twitter e YouTube. Assine a newsletter mensal.

Deixe seu comentário ☺

error: