📽️ Filme “Michelangelo. Amor e morte.” O gênio italiano no cinema


Arte italiana / Cinema

Em 19, 20  e 21 de junho de 2017, estreou nos cinemas italianos o novo filme-documentário de David Bickerstaff, que dirigiu Vincent Van Gogh – Um novo modo de ver, o qual nos leva a conhecer a vida e as obras do gigante do Renascimento italiano: Michelangelo Buonarroti.

Filme Michelangelo. Amor e morte. O gênio italiano nas telas do cinema


Filme Michelangelo. Amor e morte.

La Pietà de Michelangelo, Basílica de São Pedro, Vaticano. Foto: Wikipédia.

Homem de uma energia infinita, obcecado pela arte, complexo, frágil, absolutamente genial. Michelangelo Buonarroti (1475-1564), filho do corregedor Ludovico di Leonardo Buonarroti Simoni, foi um dos gigantes que atravessaram a magnífica temporada do Renascimento italiano.

A sua existência tumultuada e problemática, e o seu talento excepcional fizeram dele um dos artistas mais amados de todos os tempos, autor de obras-primas como  o Davi, a Pietà, Moisés, a Capela dos Médici, a volta e o Juízo Universal da Capela Sistina, a Pietà Rondanini, etc.

Escultor, pintor, arquiteto e poeta, o artista, que nasceu em Caprese em 1475, é o protagonista desse filme-documentário com imagens excepcionais de alta definição.

Michelangelo. Amore e morte

O filme estreia nos cinemas italianos por somente três dias em 2017: 19, 20 e 21 de junho, propondo uma viagem cinematográfica estupenda através das obras, os museus e os lugares fundamentais da vida de Michelangelo: Florença, naturalmente, e depois Roma e a Cidade do Vaticano.

Michelangelo. Amor e morte. Cinema italiano

Afresco de Michelangelo na Capela Sistina.

Repercorrendo a biografia de Vasari, começa-se com a aprendizagem no ateliê de Ghirlandaio e o encontro com Lourenço, o Magnífico, no Jardim de São Marcos, um tipo de academia ante litteram onde os jovens talentos estudavam as obras e as técnicas artísticas, copiando dia após dia as coleções de Arte Antiga dos Médici.

Michelangelo e seus colegas seguiam o atento estudo do corpo humano, o qual nos conta o professor de anatomia Peter Abrahams, além de vermos a relação complexa que o artista tinha com os vários e excepcionais artistas florentinos daquela época.

Quero receber a newsletter mensal de Viagem na Itália

O processo artístico de Michelangelo

O filme convida os espectadores a examinar intimamente as obras e o processo artístico de Michelangelo: cavas de Carrara, de onde extraiu seus mármores, como nos conta Francesca Nicoli, dos Laboratórios Artísticos Nicoli, até os segredos dos trabalhos de mais recente atribuição.

O percurso parte das obras mais antigas, como os  relevos marmóreos da Madonna della Scala e da Centauromachia, conservadas na Casa Buonarroti, a qual nos introduz o diretor Alessandro Cecchi, para depois passar a analisar o Crucifixo do Espírtio Santo, mostrando o cuidado com o qual o artista, ainda bem jovem, consegue descrever a anatomia de Cristo.

O documentário nos conduz, então, à descoberta das obras-primas pictóricas, desde Tondo Doni, na Galeria degli Uffizi, à Deposição de Cristo no Sepulcro, da National Gallery, da volta da Capela Sistina, ao Juízo Universal, e aprofunda o delicado e apaixonante tema do não acabado que caracteriza muitas obras do artista.

Filme sobre Michelangelo Buonarroti.

Davi, Galeria da Academia, Florença. Foto: Wikiédia.

Os bronzes Rothschild

Dentre os lugares do filme, desponta também o Departamento de Artes Figurativas Ocidentais do Hermitage, onde se encontra o Rapaz agachado de mármore, atribuído a Michelangelo somente em época recente.

Michelangelo. Amor e morte, oferece também a possibilidade extraordinária de conhecer os bronzes Rothschild, nus viris de bronze que montam sobre duas panteras.

De propriedade dos banqueiros Rothschild, as duas esculturas foram atribuídas ao maestro e seriam os únicos bronzes  de Michelangelo que sobreviveram aos séculos, como nos explica Victoria Avery, conservadora de Artes Aplicadas do Museu Fitzwilliam, em Cambridge.


ASSISTA AO TRAILER DO FILME


Leia também: Cinema na Itália.



* Fonte: Site de MyMovies.it.

** Esta postagem contém links de parceiros afiliados. Saiba mais sobre a Política de Monetização do blogue.


VIAGEM NA ITÁLIA

Desde 2003, sou residente em Riccione, um balneário turístico na região Emília-Romanha. No fim de maio de 2013, decidi tirar da gaveta a ideia de escrever um blogue com dicas de viagem na Itália, divulgando, assim, o maravilhoso patrimônio artístico, cultural e paisagístico que só este país pode oferecer. Estou também no Facebook, Instagram, Twitter e YouTube. Assine a nossa newsletter mensal.

Deixe seu comentário ☺

error: