Dolomitas italianas: Arabba, vilarejo no Vêneto


Turismo na Itália

Em 2014, finalmente consegui conhecer as formidáveis Dolomitas italianas, Patrimônio UNESCO, e aumentar a minha lista de monumentos/ lugares que gabam o título desta instituição internacional. Só mesmo estando lá, cara a cara com essas montanhas, para poder ver o quanto imponentes e magníficas elas são.

A minha viagem para contemplar esse Patrimônio UNESCO iniciou em Arabba, um vilarejo na província de Belluno, Vêneto, o qual é conhecido como Arabba… a um passo das nuvens.

Dolomitas italianas: Arabba

Vista das montanhas a partir do centro de Arabba, província de Belluno, região Vêneto.

Dolomitas italianas: Arabba, vilarejo no Vêneto


Depois de ter visitado Folgaria, em Trentino-Alto Ádige, viajei em direção às Dolomitas, mais especificamente a Arabba, na província de Belluno. Situada no coração dolomítico, este vilarejo está a 1600 m de altura, circundado pelo majestoso Gruppo del Sella, aos pés do Passo Pordoi e do Passo Campolongo.

Durante o inverno, suas pistas de esqui fazem a alegria dos esquiadores, enquanto no verão é um ótimo lugar para caminhadas entre seus bosques, para quem gosta de escalar paredes rochosas ou andar de bicicleta de corrida ou mountain bike. Só para precisar: o famoso Giro d’Italia, um dos maiores eventos de bicicleta da Itália e do mundo, passa por Arabba.

Dolomitas italianas: Arabba

Entre o Trentino-Alto Ádige e o Vêneto, eis que me deparo com uma das enormes rochas dolomíticas. As Dolomitas foram consagradas Patrimônio UNESCO em 2009 e abrangem as províncias de Belluno, Bolzano, Trento, Údine e Pordenone.

Não sou nenhuma esportista, mas em Arabba você pode fazer caminhadas no verde especial daquela região e também visitar algumas atrações culturais.

Em ladino, língua reto-românica do Trentino-Alto Ádige e Vêneto, Arabba é chamada de “Reba”. A sua posição geográfica lhe dá a vantagem de ser um ótimo ponto-base para quem quiser explorar as Dolomitas, principalmente de bicicleta de corrida ou mountain bike.

Dolomitas italianas: Arabba

A Igreja de São Pedro e Paulo no centro de Arabba, a qual foi construída na segunda metade do século XVII. O cemitério da cidade fica no próprio jardim da igreja, uma tradição austríaca.

Um pouco de história

Arabba foi, durante um longo período, domínio dos principais bispos de Bressanone, para passar, então, a ser dominada por Napoleão em 1796 e voltar a ser território austríaco em 1815. Com o fim da Primeira Guerra Mundial, a economia e, em geral, toda a cultura, era projetada para o mundo de língua alemã.

Assim, ser incorporada à Itália significou entrar em uma realidade política, cultual e econômica completamente diferente daquela vivida até então, e, por isso, Arabba procurou por muitas décadas retomar o contato com o vizinho mundo tirolês, uma ligação secular que é muito aproveitada até os dias atuais.

Dolomitas italianas: Arabba

Placa que indica a Estrada Estatal 48 das Dolomitas em Arabba.

A população ladina, mesmo durante a Segunda Guerra Mundial, encontrou-se perante um problema de identidade: de um lado, ser italiano, quando o território foi conquistado depois da Primeira Guerra Mundial, e do outro lado, sentir-se ladino com uma língua e cultura próprias.

Dolomitas italianas: Arabba

Típica paisagem natural das Dolomitas.

Os produtos típicos do lugar são o leite, queijo, ricota fresca e defumada e manteiga. O leite é um dos elementos-símbolo do território graças aos seus grandes pastos e rebanhos de alta montanha.

Dolomitas italianas: Arabba

O velho mulino.

Você pode visitar gratuitamente o Velho Mulino de Arabba, que fica aberto todos os dias, das 18 h às 19 h.

Dolomitas italianas: Arabba

A organização e a limpeza da cidade: estas são as caçambas de lixo, cada uma para um tipo de material: vidro, papel, orgânico, plástico e alumínio.


Dica de passeio a partir de Arabba: Reserva Natural Serrai di Sottoguda, um “Templo da Natureza” nas Dolomitas italianas


Um passeio fantástico que recomendo para quem for visitar as Dolomitas é a Reserva Natural Serrai di Sottoguda, província de Belluno, mais conhecida como  “Templo da Natureza” nas Dolomitas, Patrimônio UNESCO.

Dolomitas italianas: Serrai di Sottoguda

Casa em madeira com flores que lhe dão um toque romântico e, ao mesmo tempo, infantil. No andar debaixo, a lenha já estocada para o próximo inverno.

Reserva Natural Serrai di Sottoguda

É uma localidade no município de Rocca Pietore. Só pelas fotos desta postagem já dá para se ter uma pequena noção de quão maravilhosa seja esta reserva, a qual, além de ser bonita por natureza (sentido literal e figurado do termo), tem a grande vantagem de ainda estar imersa nas Dolomitas, Patrimônio UNESCO.

Parti de Arabba DE CARRO para passear por Serrai di Sottoguda. Deixamos o carro no centro deste vilarejo, fizemos um pequeno lanche e depois caminhamos em direção à entrada da reserva. Para a minha surpresa, deparei-me com um Sottoguda digno de cenário de um conto infantil: suas casas em madeira, flores que dão um colorido ao vilarejo e, pasmem, bonecos representando seres humanos!

O ponto de partida para a caminhada pela reserva natural é a igrejinha de Sottoguda, situada em uma pequena praça.

Dolomitas italianas: Serrai di Sottoguda

Uma boneca que representa uma lavadeira no lavatório de Sottoguda. Parece ou não parece um vilarejo de conto de fadas?

Dolomitas italianas: Serrai di Sottoguda

Este boneco, numa das vielas do vilarejo, representa um soldado com um binóculo: uma alusão à Primeira Guerra Mundial.

Após passar pelo vilarejo, chegamos à entrada da Reserva Natural Serrai di Sottoguda, cujo ingresso é sob pagamento (ver informações no fim desta postagem). Uma vez dentro da reserva, você caminha por dois quilômetros, um itinerário bem fácil em terra plana, entre paredes com altura de algumas centenas de metros e com pouco espaço entre elas. Um verdadeiro cânion nas Dolomitas.

Dolomitas italianas: Serrai di Sottoguda

Igrejinha de Santo Antônio.

Igrejinha de Santo Antônio. No início, era dedicada a esse santo devido à mortandade de animais que aconteceu nesta área no passado. Os bichos domésticos eram muito importantes para a população local, a qual vivia em uma condição de pobreza nessas montanhas.

Com o tempo, a igreja passou a ser em homenagem a Santo Antônio de Pádua, cujo festejamento é dia 13 de junho. Em 1934, foi colocada uma placa para lembrar os mortos na Primeira Guerra Mundial no fronte da Marmolada.

Dolomitas italianas: Serrai di Sottoguda

O trenzinho azul (ver informações no fim desta postagem), o qual pegamos para voltar ao vilarejo de Sottoguda porque tinha começado a chover. Na foto, a Cascata Franzei, que, durante o inverno, vira uma grande cascata em gelo: um verdadeiro paraíso para os escaladores que adoram se pendurar sob baixíssimas temperaturas.

Existem duas galerias de guerra nesta reserva, as quais foram realizadas pelos militares durante a Primeira Guerra Mundial para servir de armazém para a pólvora. Depois da guerra, por um certo período, essas galerias foram usadas como capelas rudimentares para lembrar o Cemitério Militar de Malga Ciapela. Já sa Segunda Guerra Mundial, serviram de refúgio antiaéreo para os habitantes de Sottoguda.

Dolomitas italianas: Serrai di Sottoguda

Caminhando e cantando durante um dia de verão chuvoso. No inverno, as cascatas se congelam e muitos escaladores aproveitam para subir pelo gelo acumulado nas paredes rochosas.

Como escrevi acima, a caminhada de dois quilômetros neste cânion é bem leve, de fácil acesso para todas as idades, desde crianças até idosos. Sem contar que, como no meu caso, quando começar a chover, ou se alguém quiser curtir a mordomia de percorrer a reserva sentado, há o trenzinho para fazer o percurso.

A Reserva Natural Serrai di Sottoguda está ao lado da famosíssima Marmolada: o grupo montanhoso mais alto das Dolomitas, cujo cume mais elevado é a Punta Penia com seus 3.342 m de altura.

Dolomitas italianas: Serrai di Sottoguda

Caminhar enquanto se escuta o barulho das águas. Mãe natureza é perfeita!


 Informações sobre a Reserva Natural Serrai di Sottoguda

Para informações turísticas sobre Serrai di Sottoguda, assim como os horários e preço do trenzinho, consulte diretamente o site Trenino dei Serrai di Sottoguda (italiano e inglês).

 O melhor meio de transporte para ir a Sottoguda é o carro. Se precisar alugar um, alugue-o com nosso parceiro RENTALCARS.


Informações sobre Arabba, Dolomitas italianas, província de Belluno

Para informações turísticas sobre Arabba, consulte o seu site oficial de informações turísticas (italiano, espanhol, inglês, alemão).

Nas redondezas, aproveite para conhecer também o Castelo de Andraz.

Quero receber a newsletter mensal de Viagem na Itália

Gastronomia italiana incluindo dicas vegetarianas e veganas


* Esta postagem contém links de parceiros afiliados. Saiba mais sobre a Política de Monetização do blogue.


VIAGEM NA ITÁLIA

Desde 2003, sou residente em Riccione, um balneário turístico na região Emília-Romanha. No fim de maio de 2013, decidi tirar da gaveta a ideia de escrever um blogue com dicas de viagem na Itália, divulgando, assim, o maravilhoso patrimônio artístico, cultural e paisagístico que só este país pode oferecer.

Estou também no Facebook, Instagram, Twitter e YouTube. Assine a newsletter mensal.

Comments

  1. […] minha viagem nas Dolomitas, após ter visitado a lindíssima Reserva Natural Serrai di Sottoguda, fui conhecer o Castelo de Andraz, cuja localização domina o vale que o circunda. Trata-se de uma […]

  2. […] Caminhando em Serrai di Sottoguda, Dolomitas, Vêneto. […]

  3. […] visitar as Dolomitas, aproveite para conhecer também Arabba e Serrai di Sottoguda e o Castelo de […]

Deixe seu comentário ☺

error: