Dicas de Roma: Estádio do Imperador Domiciano


Arqueologia romana / Dicas de Roma, Vaticano e arredores

Em agosto de 2015, visitei o Estádio do Imperador Domiciano (Stadio di Domiziano, em italiano), situado entre Praça Navona, Praça dei Tor Sanguigna e Via di Tor Sanguigna. Quando visitei esse sítio arqueológico, estava em exibição a interessantíssima mostra “Gladiatori e Agoni Sportivi. Armi ed armature dell’Impero Romano“, que terminou no ano passado.

Se você se gosta de arqueologia e história do Império Romano, e dispõe de tempo na Cidade Eterna, visitar as ruínas do Estádio de Domiciano pode ser um passeio de grande proveito no seu roteiro turístico.

Dicas de Roma: Estádio do Imperador Domiciano, um pouco de história

Dicas de Roma: Estádio do Imperador Domiciano

Ruínas do Antigo Estádio de Domiciano, centro histórico de Roma.

O Imperador Domiciano

O Imperador Romano Domiciano (Domiziano, em italiano), nascido em 24 de outubro de 51 d.C. e falecido em 18 de setembro de 96 d.C., foi imperador de 14 de setembro de 81 d.C. até a sua morte. Governou Roma com grande paixão aos trinta anos de idade, tendo o seu império durado quinze anos, e terminou sua vida assassinado pelos senadores que tinha desprezado.

Domiciano deixou sinais de sua dedicação administrativa, em especial a decoração da cidade com monumentos e instalações destinadas aos espetáculos.

Ele completou a construção do Coliseu e das Termas Imperiais, iniciou a reconstrução do Circo Massimo após um incêndio e construiu o estádio homônimo cujos restos encontram-se hoje na Praça Navona, centro histórico de Roma (Patrimônio UNESCO).

Dicas de Roma: Estádio do Imperador Domiciano

Visão do Estádio do nível da rua.

Estádio de Domiciano: o primeiro em alvenaria

Seguindo os passos de seu pai Vespasiano e o irmão Tito, e como fez antes Nero, Domiciano sabia bem que divertir o povo servia para entretê-lo e manter a calma social. A importância do Estádio está no desejo do imperador de sensibilizar e envolver os romanos na prática do atletismo, esporte por excelência, e demais esportes não violentos.

Na história da Antiga Roma, o Estádio de Domiciano é o primeiro e único exemplo de estádio em alvenaria, construído no Campo Marzio entre os anos de 85-86 d.C. para celebrar o Certame Capitolino Iovi, competição quinquenal instituída para inaugurá-lo em 86 d.C., uma imitação das provas olímpicas.

O estádio era destinado principalmente às competições de atlética, com destaque para a corrida. A pista na qual eram realizadas as provas tinha o comprimento de um estádio, unidade de medida correspondente a 600 pés.

Dicas de Roma: Estádio do Imperador Domiciano

Reprodução do Estádio de Domiciano na época do Império Romano.

De onde vem a palavra “atleta”?

A palavra atleta deriva de “athla”, que em grego significa “prêmio”: assim, indica aquele que concorre ao prêmio.

O verdadeiro objetivo da construção do Estádio de Domiciano era levar para Roma os jogos atléticos gregos apreciados pelo imperador, mas pouco amados pelos romanos que os consideravam imorais e pouco viris porque não eram árduos e nem violentos. Na verdade, tratava-se de um jogo heterogêneo de competições esportivas e artísticas em que a roupa era bastante lasciva.

Um projeto visionário com o qual se procurou “romanizar” as olimpíadas gregas. O edifício, que media 275 metros de comprimento por 106 metros de largura, podia receber cerca de 30.000 espectadores. Os jogos eram denominados agones, e o nome da praça deriva da palavra agones, a qual virou agone, innagone, navone, e, então, Navona.

Dicas de Roma: Estádio do Imperador Domiciano

Roupas de gladiadores durante a mostra “Gladiatori e Agoni Sportivi. Armi ed armature dell’Impero Romano”, já terminada.

Os restos do Estádio Romano

Os restos do Estádio de Domiciano estão  em uma área que compreende Praça Navona, Praça dei Tor Sanguigna e Via di Tor Sanguigna, a cerca de 4,50 metros do nível da estrada. A área arqueológica é o quanto existe do primeiro e único exemplo de estádio em alvenaria conhecido até hoje em Roma, depois das experiências provisórias construídas em madeira por César e Augusto, e é um dos raros testemunhos, junto com aquele de Pozzuoli, conhecidos fora da Grécia e da área oriental até hoje.

Quem comandava os jogos era o próprio Imperador Romano Domiciano, que tinha a cabeça ornada com uma coroa de ouro e a efígie de Júpiter, Jânio e Minerva, e vestido com uma toga púrpura à grega.

Dicas de Roma: Estádio do Imperador Domiciano

Musicum, equestre, gymnicum

O Certame Capitolino era tríplice (musicum, equestre, gymnicum), isto é, articulado em competições de diversos tipos: provas iniciais de poesia grega e latina que eram realizadas no Odeon, edifício construído por ordem de Domiciano perto do Estádio, depois vinham as competições musicais, representações teatrais e equestres (estas últimas deviam ser realizadas no Circo Massimo, edifício no qual Domiciano começou o grandioso trabalho de reconstrução, posteriormente finalizado por Trajano).

Por último, aconteciam as provas esportivas estruturadas no ciclo olímpico grego: atlética leve (corridas de vários tipos), atlética pesada (luta, pugilato e pancrácio), além das provas reunidas no pentatlo (corrida, lançamento de disco, salto, lançamento de dardo, luta).

A competição mais importante era a corrida do estádio (cerca de 180 metros), cuja pista devia ser de terra batida.

Dicas de Roma: Estádio do Imperador Domiciano

Praça Navona era alagada para divertir os romanos

Os príncipes e o povo se divertiam alagando Praça Navona durante o verão e tomando banho, mas também realizando jogos e outras brincadeiras. Em 1600, Papa Inocêncio X mandou decorá-la pelos grandes arquitetos da época, construindo no seu centro a famosa “Fontana dei Fiumi”. O povo, porém, não aprovava todas essas despesas feitas para as obras de arte, já que o Papa as financiava aumentando as taxas sobre o sal e a carne.

A estátua falante de Pasquino, situada nas proximidades da praça, era usada como porta-voz do povo: assim, sobre o dorso de Pasquino eram pendurados cartazes com denúncias anônimas: “Mais que coruchéus e fontanas, queremos pão, pão, pão, pão!!” (tradução livre).


Leia também minhas dicas de Roma, Vaticano e arredores


Dicas de Roma: Estádio do Imperador Domiciano


Dicas de Roma: Estádio do Imperador Domiciano – informações práticas


 Via di Tor Sanguignea, 3. Ao lado de Praça Navona, centro histórico de Roma.

Horário: Todos os dias, das 10 h às 19 h. Sábado, das 10 h às 20 h. A bilheteria fecha 30 minutos antes.

Preços: 8 euros (inteiro) e 6 euros (reduzido), ambos com audioguia incluída.

Ingresso reduzido: Jovens entre 12 e 18 anos; idosos acima de 65 anos; Card Roma Pass; Deficientes físicos sem acompanhante.

A entrada é gratuita para crianças até 12 anos e deficientes físicos com acompanhante.

 Todos os sábados e domingos são realizadas visitas guiadas a cada hora, a partir das 11 h, com arqueólogos da Associação Artefacto (sábado, última visita às 19 h, domingo, às 18 h). O preço da entrada com visita guiada é de 12 euros.

Para mais informações, consulte o site oficial Stadio di Domiziano (italiano e inglês).


Vídeo que fiz durante a minha visita ao Estádio de Domiciano, Praça Navona 

Aproveite melhor a sua viagem e faça um tour privado em português com uma guia brasileira em Roma.

Quero receber a newsletter mensal de Viagem na Itália.

Serviços turísticos no Vaticano, Roma e arredores


* Texto baseado no site italiano Stadio di Domiziano.

** Esta postagem contém links de parceiros afiliados. Saiba mais sobre a Política de Monetização do blogue.


VIAGEM NA ITÁLIA

Desde 2003, sou residente em Riccione, um balneário turístico na região Emília-Romanha. No fim de maio de 2013, decidi tirar da gaveta a ideia de escrever um blogue com dicas de viagem na Itália, divulgando, assim, o maravilhoso patrimônio artístico, cultural e paisagístico que só este país pode oferecer.

Estou também no Facebook, Instagram, Twitter e YouTube. Assine a newsletter mensal.

Comments

  1. […] residência, estruturada também para o inverno, serviu praticamente como residência fixa para o Imperador Domiciano, sendo repleta de belezas naturais e de edifícios luxuosos, monumentos e obras de […]

  2. […] tarde, Domiciano, que sucedeu seu irmão, completou a obra ornando-a com estátuas, frisos e escudos de bronze. […]

Deixe seu comentário ☺

error: