Dicas de museus em Bolonha: Museu da História, Museu de San Colombano e Pinacoteca Nacional


Dicas de Bolonha e arredores / Dicas na Emília-Romanha / Museus

Em abril de 2015, visitei dois museus no centro histórico de Bolonha: o Museu da História de Bolonha (Museo della Storia di Bologna), no Palácio Pepoli,  e o Museu San Colombano – Coleção Tagliavini.

Já em abril deste ano, finalmente fui à Pinacoteca Nacional de Bolonha, um museu que já queria ter conhecido há anos, principalmente para rever o quadro O Êxtase de Santa Cecília, de Rafael Sanzio, o qual já tinha visto em uma mostra na cidade.

Se você quer conhecer uma outra Bolonha, e tem algumas horas de sobra, que tal visitar um destes museus?

Dicas de museus em Bolonha: Museu da História de Bolonha

Dicas de Bolonha. Museu da História de Bolonha

Museu da História de Bolonha.

Um pouco da história do Palácio Pepoli

A história deste palácio começa em 1276 quando Romeo Pepoli, membro de uma família que fazia negócios com estudantes espanhóis e franceses, comprou o edifício.

Em 1344, Taddeo Pepoli, filho de Romeu, construiu o palácio: do lado de fora, imponente, era circundado por um fosso em sua parte, enquanto no interior era uma casa de representação, com pátio nobre, salão para recepções e decorações em estuque.

A família Pepoli, a primeira que governou Bolonha na época das famílias senhoris, foi proprietária do palácio até 1910 quando, com a morte de Agostino Siero Pepoli, o edifício foi cedido para o município de Bolonha.

Em 1913-14, Palácio Pepoli foi comprado pelo banco Cassa di Risparmio di Bologna, e em 2004, pela Fundação Carisbo, através da sociedade Museo della Città di Bologna.

Assim, em janeiro de 2012 foi inaugurado o Museu da História de Bolonha no Palácio Pepoli, um percurso museológico e cultural dedicado à história, cultura e às transformações de Bolonha, desde a Felsina etrusca até os nossos dias.

Os acontecimentos históricos locais são aqui contados em um modo inovador e dinâmico, com técnicas expositivas cenográficas e interativas, algumas até mesmo inéditas no panorama italiano.

Dicas de Bolonha. Museu da História de Bolonha

Museu da História de Bolonha.

O lindo palácio medieval foi reinventado e restaurado pelo arquiteto Mario Bellini, enquanto o projeto gráfico foi curado pelo arquiteto Italo Lupi, aspectos que fazem do museu uma experiência única.

No centro do pátio interno do Palácio Pepoli, o arquiteto Mario Bellini colocou a Torre do Tempo, uma torre feita com vidro e aço que reinventa a corte desfigurada pelo tempo e a faz retomar a sua dignidade e função.

Uma lanterna mágica que é inundada por uma luz natural, quase como quisesse desafiar as famosas Duas Torres. Uma escolha estratégica que facilita o inteiro percurso expositivo entre o andar térreo e o andar nobre, sendo a própria torre e a corte o epicentro do museu.

Algumas salas expositivas mostram vídeos e documentários em língua italiana e inglesa (alguns, por enquanto, somente em italiano). A intenção do museu é a de inserir legendas em inglês em todo o material.

Dicas de Bolonha. Museu da História de Bolonha

Objetos da civilização etrusca.

O museu é dividido em várias seções, distribuídas em sucessões cronológicas e por grandes temas (tradução livre em português das seções abaixo):

– La città dipinta (A cidade pintada)

– Torre del Tempo (Torre do Tempo)

– Bologna nell’antichità (Bolonha na antiguidade): Salas 1-4

– La grande stagione del Medioevo (A grande estação da Idade Média): Salas 5-7 e 9-10

– Forma Urbis (sala 8)

– Il Rinascimento dei Bentivoglio (O Renascimento dos Bentivoglio): Salas 11-12

– Bologna in scena: politica, religione e riti della vita collettiva (Bolonha em cena: política, religião e ritos da vida coletiva): Salas 13-16

– Bologna La Dotta: arti, scienze, lettere, musica (Bolonha, “La Dotta”: artes, ciências, letras, música): Salas 17-19 e 21-22

– Spazio multimediale e Teatro virtuale (Espaço multimídia e Teatro virtual)

– La città delle acque (A cidade das águas): Sala 20

– Dal Settecento al Novecento (Do século XVIII ao XX): Salas 23-28

– Un tempo né troppo vicino né troppo lontano (Um tempo nem muito próximo e nem muito longe): Salas 29-32

– La città delle lingue (A cidade das línguas): Salas sale 33-34

– Sala della cultura (Sala da cultura).

Bologna, La Dotta

Bolonha é conhecida como “La Dotta” pela sua universidade,  uma das mais antigas da Europa.

Dicas de Bolonha. Museu da História de Bolonha

Museu da História de Bolonha.

Sala Bolonha (Sala Bologna)

Nesta sala está conservada a famosa reprodução em fac-símile da monumental planta perspectiva da cidade de Bolonha afrescada na Sala Bologna do Palácio Apostólico Vaticano.

A obra está colocada na sala de entrada do museu e permitirá que os visitantes admirem uma pintura extraordinária não exposta para o público.

A Sala Bolonha, originariamente uma sala de refeições do Papa com uma galeria aérea que se abria para a cidade de Roma, é hoje inacessível para os visitantes porque é adjacente aos apartamentos privados do pontífice e à Secretaria do Estado do Vaticano.

Esta sala foi construída para o Jubileu de 1575 sob encomenda do papa bolonhês Gregório XIII Boncompagni, o qual empregou um time de pintores dirigidos por Lorenzo Sabatini para dar vida a um ambicioso ciclo de afrescos com tema geoiconográfico e cosmológico.

A Sala Bolonha precede em cinco anos a conhecida Galeria dos Mapas Geográficos no Vaticano, e com esta última o papa bolonhês celebrou em Roma a sua cidade natal, glorificando-a juntamente com a Alma Mater Studiorum, centro da nova ciência na época da Contrarreforma.

O interior é ainda afrescado com grandes mapas terrestres e celestes, dentre os quais desponta o majestoso mapa da cidade de Bolonha que ocupa a inteira parede sul e é reconhecido como o maior “retrato” da cidade já afrescado durante o Renascimento.

A gigantesca planta perspectiva descreve o tecido urbano e a arquitetura em detalhes ao fornecer uma imagem fiel da cidade histórica que corresponde em grande parte àquela de hoje.


Como visitar o Museu da História de Bolonha

Via Castiglione, 8. Centro de Bolonha.

Terça a domingo, das 10 h às 19 h. Fechado em 25 de dezembro.

Ingressos

Inteiro: € 10
Reduzido: € 8

  • Visitantes com mais de 70 anos
    Deficientes físicos
    Docentes com devido documento
    Grupos com 15 pax, mínimo
    Para quem comprou ingresso em uma outra estrutura de Genus Bononiae (até 6 dias após a compra)
    Jovens e estudantes (com carteirinha) de 19 a 26 anos

Reduzido escolas/ jovens: € 5,00
Grupos escolares
Jovens de 6 a 18 anos

Gratuito

A compra da entrada única dá direito a um audioguia.


Museus em Bolonha: Museu San Colombano – Coleção Tagliavini


Dicas de Bolonha. San Colombano

Museu San Colombano. Coleção Tagliavini

San Colombano é um complexo de igrejas constituído por uma série de edifícios agregados durante o tempo a partir do século VII.

Na restauração recente, foi descoberto um afresco de uma crucificação do século XIII, atribuído ao artista Giunta Pisano, uma cripta medieval e uma sepultura do século XIII.

Luigi Ferdinando Tagliavini

Inaugurado em 21 de junho de 2010, este complexo guarda a coleção de instrumentos musicais antigos doada pelo Maestro Luigi Ferdinando Tagliavini, organista e musicólogo bolonhês, constituída de cerca de noventa peças entre cravos, espinetas, pianos, clavicórdios e outros instrumentos, e a biblioteca especializada do musicólogo bolonhês Oscar Mischiati.


 Leia minhas outras dicas de Bolonha.


Dicas de Bolonha. Museu San Colombano. Coleção Tagliavini

Museu San Colombano. Coleção Tagliavini

Dicas de Bolonha. Museu San Colombano. Coleção Tagliavini

Museu San Colombano. Coleção Tagliavini

A coleção Tagliavini compreende peças do século XVI ao XIX. A história dessa coleção começou em 1969, quando Tagliavini comprou uma espineta do século XVI em Bolonha e, posteriormente, o grande címbalo de três registros construído em 1679 por Giovanni Battista Giusti, o qual é considerado uma das peças mais importantes da coleção.

A partir de então, Tagliavini iniciou a sua própria e verdadeira pesquisa de coleção.


Como visitar o Museu San Colombano – Coleção Tagliavini

Via Parigi, 5. Centro de Bolonha

Terça a domingo, das 11 h às 19 h. Fechado em 25 de dezembro.

Ingressos

Inteiro: € 7
Reduzido: € 5

  • Visitantes com mais de 70 anos
    Deficientes físicos
    Docentes com devido documento
    Grupos com 15 pax, mínimo
    Para quem comprou ingresso em uma outra estrutura de Genus Bononiae (até 6 dias após a compra)
    Jovens e estudantes (com carteirinha) de 19 a 26 anos
    Jornalistas com carteira

Reduzido escolas/ jovens: € 4,00
Grupos escolares
Jovens de 6 a 18 anos

Gratuito

A compra da entrada única dá direito a um audioguia.

Para mais informações, consulte diretamente o site Genus Bononiae.

Quero receber a newsletter mensal de Viagem na Itália


Assista a este vídeo com os museus de Genus Bononiae em Bolonha


Pinacoteca Nacional de Bolonha

Totalmente renovada em 1997, a Pinacoteca Nacional de Bolonha apresenta, além das 30 salas expositivas, Salas de Belas Artes e salas modernamente equipadas no subsolo, onde há mostras temporárias, atividades didáticas, seminários e outros eventos.

Museus em Bolonha: Pinacoteca Nacional

Uma das salas da Pinacoteca de Bolonha

A Pinacoteca  articula-se em seções subdivididas historicamente por escolas e o itinerário repercorre as obras de artistas do XIII e XIV século (Vitale di Bologna, etc.) ao período do Renascimento (Rafael Sanzio, Perugino, Tintoretto, etc.), do Maneirismo (Giorgio Vasari, Bartolomeo Cesi, etc.) ao Barroco (Carracci, Guercino, etc.) para chegar, finalmente, à Sala das pinturas do século XVII.

Afrescos na Pinacoteca bolonhesa.


Como visitar a Pinacoteca Nacional de Bolonha

Via delle Belle Arti, 56. Centro de Bolonha

Terça a domingo, das 8h30 às 19h30.

Em julho e agosto: 8h30 às 14 h (terças e quartas). 13h45 às 19h30 (quinta a domingo).

Ingressos (dão direito a visitar a Pinacoteca e Palácio Pepoli Campogrande)

Inteiro: € 6
Reduzido: € 3 (jovens de 18 a 25 anos e titulares de Card Musei Metropolitani de Bolonha).

Gratuito: menores de 18 anos e no primeiro domingo de todos os meses.

Para mais informações, consulte diretamente o site da Pinacoteca Nazionale di Bologna.

Para grupos de familiares e amigos: tour privado em português no centro histórico de Bolonha. Entre em contato para mais informações.


Dicas de viagem e turismo em Bolonhas: serviços turísticos


*Visitei o Museu da História de Bolonha e o Museu San Colombano como cortesia de Genus Bononiae.

** Esta postagem contém links de parceiros afiliados. Saiba mais sobre a Política de Monetização do blogue.


VIAGEM NA ITÁLIA

Desde 2003, sou residente em Riccione, um balneário turístico na região Emília-Romanha. No fim de maio de 2013, decidi tirar da gaveta a ideia de escrever um blogue com dicas de viagem na Itália, divulgando, assim, o maravilhoso patrimônio artístico, cultural e paisagístico que só este país pode oferecer. Estou também no Facebook, Instagram, Twitter e YouTube. Assine a newsletter mensal.

Deixe seu comentário ☺

error: