🌋 Como subir até a cratera do Vulcano, Ilhas Eólias, Sicília


Dicas da Sicília

Durante a minha curta estadia na Ilha de Vulcano, uma das sete ilhas que formam o arquipélago eoliano, Patrimônio Unesco na Sicília, aproveitei o fim de tarde para subir até a cratera do vulcão da ilha, o meu interesse principal por lá.

Depois de ter visitado as crateras Silvestri do Etna, não podia deixar de lado a cratera do Vulcano…

Peguei o transfer do Therasia Resort, hotel 5 estrelas em que fiquei hospedada na Ilha de Vulcano, para o porto. De lá, fui a pé até o início da trilha que leva à cratera.

Levei uns quarenta minutos para fazer a subida, já que há pontos um pouco íngrimes e, apesar de ter sido depois das 5 h da tarde de 28 de maio, o sol ainda dava o seu efeito e levei maior suadeira para subir a trilha

Se você também irá a Vulcano, leia abaixo algumas informações importantes sobre o vulcão, assim como a origem de seu nome.

Vulcano, Ilhas Eólias, Sicília

Cratera do Vulcano vista do início da trilha de subida.

Como subir até a cratera do Vulcano, Ilhas Eólias, Patrimônio Unesco na Sicília


A construção da Ilha de Vulcano começou há 130 mil anos com a formação do vulcão primordial, um cone central cuja evolução culminou com um grande afundamento que levou à formação da caldeira do Piano há cerca de 100 mil anos.

A atividade retomou pouco ao norte com a formação dos relevos lávicos de Lenita. Essa fase também terminou com a formação de uma nova depressão – a Caldeira da Fossa – depois de dois afundamentos que ocorreram por volta de 50 mil e 15 mil anos atrás, respectivamente.

Seguiu-se a construção do cone da Fossa cujo início remonta há 6 mil anos. A formação do Vulcanello, provavelmente em época medieval, representa o último importante acontecimento de construção da ilha.

Vulcano: erupções desse vulcão italiano

Vulcão, Ilhas Eólias, Sicília

Vista da Ilha de Vulcano e de Lípari durante a subida.

As erupções históricas ocorreram nas crateras de Fossa e de Vulcanello.

A atividade vulcânica de Fossa tem um carácter episódico com crises eruptivas, também de forte intensidade, que se alternam com longos períodos de repouso.

A última erupção que aconteceu em Fossa foi entre 1888-1890 e caracterizou-se por repetidas explosões típicas de energia médio-alta, chamadas próprio de “vulcaniane”, que geraram fluxos piroclásticos e a queda de cinzas e bombas “de casca de pão” sobre toda a área da Fossa até cerca de 2 km de distância.

FUMAROLA

substantivo feminino

Emanações de gases com aparência de nuvens de fumo branco que se produzem nos vulcões ou nas suas proximidades.

As excursões no vulcão são regulamentadas por uma norma do prefeito de Lípari, outra ilha eoliana ao lado de Vulcano. A subida à cratera da Fossa, mesmo não apresentando certa dificuldade, é uma caminhada que pode ser cansativa pela sua inclinação e pelo calor: por isso, é melhor subir somente em boas condições físicas.

Cratera de Vulcano, Ilhas Eólias, Sicília

Grupo de excursionistas que passam pelas fumarolas que saem da cratera ininterruptamente.

Durante o verão é melhor subir até a cratera durante as horas menos quentes, sendo a trilha completamente exposta ao sol. Para fazer a caminhada, é aconselhado levar água e vestir-se adequadamente, assim como ter tênis apropriados para trekking.

Na cratera da Fossa, é necessário ter muita atenção quando se aproxima das fumarolas que saem da cratera. A temperatura alta pode causar queimaduras e a composição dos gases é nociva para a saúde.

É importante saber que objetos metálicos, celulares e máquinas fotográficas estragam irremediavelmente se colocadas em contato com o vapor da fumarola. É proibido descer na depressão da cratera onde pode haver concentração letal de gás.


Mitologia: o deus romano Vulcano (lat. Vulcanus e Volcanus)


Antigo deus romano, identificado com o deus grego Hefesto, senhor do fogo e do trabalho com metais, cujo nome parece remontar à Etrúria. Segundo o filósofo romano Marco Terêncio Varrão (Marcus Terentius  Varro, em latim), o culto de Vulcano foi introduzido em Roma por Tito Tácio. Segundo uma outra tradição, o seu primeiro templo é atribuído a Rômulo.

Cratera do Vulcano, Ilhas Eólias, Patrimônio Unesco na Sicília

Apreciando a vista da cratera do Vulcano.

Em idade histórica, Vulcano já aparece identificado com Hefesto e honrado como uma potência temível: os seus templos eram, frequentemente, construídos fora das cidades.

Em Ostia, era considerado o deus principal. Às vezes era associado a Marte e a Quirino e a esses deuses eram oferecidos os dízimos do butim de guerra.

Além disso, o seu culto era ligado com aquele da deusa romana Maia. Vulcano era lembrado como pai de Caco, Céculo e de Sérvio Túlio, sexto rei de Roma. As suas representações são inspiradas nas de Hefesto.

Em homenagem a Vulcano, em 23 de agosto eram realizadas as festas Vulcanalie (lat. Vulcanalia ou Volcanalia), durante as quais eram feitos vários sacrifícios com o intuito de afastar o perigo de incêndios.

Cratera do Vulcano, Ilhas Eólias, Sicília

Cratera que expele fumarolas continuamente…


Vídeo que fiz na cratera do Vulcano


Leia também:

Dicas da Sicília

Quais são os vulcões existentes na Itália


Quero receber a newsletter mensal de Viagem na Itália

Lojinha da Sicília


*Referências bibliográficas:

  • Dicionário Priberam da Língua Portuguesa
  • Enciclopedia Treccani
  • Site da Protezione Civile Italiana

VIAGEM NA ITÁLIA

Desde 2003, sou residente em Riccione, um balneário turístico na região Emília-Romanha. No fim de maio de 2013, decidi tirar da gaveta a ideia de escrever um blogue com dicas de viagem na Itália, divulgando, assim, o maravilhoso patrimônio artístico, cultural e paisagístico que só este país pode oferecer.

Estou também no Facebook, Instagram, Twitter e YouTube.
Assine a nossa newsletter mensal.

Comentários

  1. […] Veja abaixo quais vulcões existem no país e programe-se para escalar alguns deles (como eu fiz com dois: Etna e Vulcano). […]

Deixe seu comentário ☺

error: