Cortina d’Ampezzo: Rainha das Dolomitas na Itália


Turismo na Itália
Cortina d'Ampezzo nas Dolomitas, Itália

Centro de Cortina d’Ampezzo com a torre da Igreja de São Felipe e Tiago, um dos símbolos da cidade.

Cortina d’Ampezzo, província de Belluno, Vêneto, é uma das localidades de montanha mais badaladas da Itália. A sua fama deve-se não somente à beleza natural das Dolomitas, Patrimônio UNESCO, mas também ao burburinho do jet-set italiano e internacional que a escolhem como meta de inverno no país.

Ademais, Cortina é muito frequentada por esportistas amantes da neve, mas também é muito procurada no verão por quem deseja pedalar, caminhar, escalar, etc. Descubra mais sobre Cortina d’Ampezzo: A Rainha das Dolomitas.

Guia brasileira na Itália. Maria Arruda

Cortina d’Ampezzo: Rainha das Dolomitas italianas


Sim, Cortina d’Ampezzo é um lugar chique, mas nem por isso deixa de ser frequentada por pessoas cujo interesse principal seja o esporte ou o simples contato com a natureza.

Suas lojas chiques no centro, assim como os vários hotéis de luxo, indicam que a cidade é um ponto turístico para pessoas endinheiradas, mas ao lado do seu glamour também convivem opções de lazer com custos que podem estar dentro do orçamento de um turista de classe média.

Cortina d'Ampezzo nas Dolomitas, Itália

O pequeno centro de Cortina aglomera muitas lojas, assim como alguns bares e hotéis.

Best of the Alps

A Rainha das Dolomitas é a única localidade italiana a fazer parte do Best of the Alps”, uma associação que reúne as 12 localidades de montanha mais refinadas dos Alpes. Quando estive lá, não pude deixar de ir à caça de suas três igrejas no centro da cidade.

Cortina d'Ampezzo nas Dolomitas, Itália

Altar da Igreja de São Felipe e Tiago. Este templo religioso foi constuído em 1775 pelo arquiteto Promperg. Alguns artistas contribuíram para a sua beleza, como Andrea Brustolon, os pintores Francesco A. Zeiler, Giuseppe Zanchi e os ampezanos Luigi Gillarduzzi e Giuseppe Ghedina.

Lugares sagrados em Cortina d’Ampezzo

Depois da Igreja de São Felipe e Tiago, fui conhecer a de Nossa Senhora da Defesa, dirigida pelos Frades Menores Franciscanos. É dedicada a esta santa pelos seus dois milagres em favor da população ampezana em 572 e em 1412.

O edifício religioso foi construído em 1480 sobre um antigo santuário, sendo a igreja refeita em 1743.

Cortina d'Ampezzo nas Dolomitas, Itália

Fachada da Igreja de Nossa Senhora da Defesa. Ao visitar o seu interior, preste atenção nas suas esculturas de época rococó e nos afrescos do artista Zeiler.

E a última igreja que visitei, e também da que mais gostei pela sua grande simplicidade arquitetônica, foi a Igrejinha de São Francisco, uma pequena capela privada que pertence a uma família ampezana.

Desconhece-se a sua data de construção, sendo que a sua estrutura permaneceu inalterada durante séculos, à parte a Gruta de Lourdes, construída no século XX.

Cortina d'Ampezzo nas Dolomitas, Itália

Igrejinha de São Francisco, a minha preferida em Cortina d’Ampezzo pela sua simplicidade. No seu interior, não deixe de admirar seus afrescos do século 14 na parede no fundo do presbitério.

Museu a céu aberto da Grande Guerra

Por falta de tempo, não pude visitar os museus da cidade, os quais você pode ver neste site (italiano e inglês). Porém, pude conhecer uma das cavas do Museu a céu aberto da Grande Guerra, o mais extenso da Primeira Guerra Mundial.

No meu segundo dia em Cortina, subi de teleférico  até o Refúgio Lagazuoi, um dos mais altos das Dolomitas no monte homônimo, a 2835 m de altitude. O frio e o vento lá em cima estavam de lascar, mas a vista que se tem das montanhas compensa qualquer tremedeira no esqueleto ☺

O teleférico até o Refúgio Lagazuoi parte de Passo di Falzarego e é aberto no verão e no inverno. Consulte aqui em tempo real os seus horários de abertura durante o ano.

Cortina d'Ampezzo nas Dolomitas, Itália

Lá embaixo, a estação de embarque do teleférico de Passo di Falzarego. Para esportistas ou pessoas preparadas fisicamente, dá para subir até o Monte Lagazuolo por uma trilha. Haja fôlego!

Cortina d'Ampezzo nas Dolomitas, Itália

Vista do Monte Lagazuoi. Você chega até aqui de teleférico. Conselho: mesmo no verão, leve um casaco à prova de vento e vá com tênis de trekking para não correr o risco de levar um escorregão nas rochas.

Fica a dica: Nas Dolomitas, não deixe de visitar também o Castelo de Andraz.

Cortina d'Ampezzo: Rainha das Dolomitas, Itália

Uma das cavas que fazem parte do Museu ao Aberto da Grande Guerra. Nestas montanhas lutaram os exércitos italiano e austro-hungaro. Uma triste recordação de um evento cujo cenário foram as Dolomitas.

Refúgios nas montanhas

E do Refúgio Lagazuoi fui para o Refúgio Scoiattoli em Cinque Torri, sempre usando o teleférico. Cinque Torri é uma cadeia montanhosa cuja altitude máxima chega a 2.361 m.

Cortina d'Ampezzo nas Dolomitas, Itália

No teleférico de Cinque Torri que leva até o Refúgio Scoiattoli. Se quiser, dá para subir por uma trilha, a qual é mais fácil do que a do Monte Lagazuolo.

O Museu a céu aberto da Grande Guerra compreende os museus de Lagazuoi, Cinque Torri, Sasso di Stria e Forte Tre Sassi.

Cortina d'Ampezzo: Rainha das Dolomitas

Vista a partir da cadeia montanhosa de Cinque Torri.

O verão em Cortina é de junho a setembro. Dá para aproveitar bastante a natureza, seja a pé, a cavalo ou de bicicleta.

Que tal incluir Cortina d’Ampezzo na sua próxima viagem à Itália? Aproveite e leia também 7 filmes para você sonhar com Cortina d’Ampezzo.


Como chegar a Cortina d’Ampezzo: Rainha das Dolomitas, Itália


 O melhor meio de transporte para ir a Cortina d’Ampezzo e passear pelas Dolomitas é o carro. Aproveite e alugue o seu AQUI.

Quero receber a newsletter mensal de Viagem na Itália


*Fiz esta viagem a Cortina d’Ampezzo junto com Italy Bike Tour.

**Esta postagem contém links de parceiros afiliados. Saiba mais no F.A.Q. do blogue.


VIAGEM NA ITÁLIA

Desde 2003, sou residente em Riccione, um balneário turístico na região Emília-Romanha. No fim de maio de 2013, decidi tirar da gaveta a ideia de escrever um blogue com dicas de viagem na Itália, divulgando, assim, o maravilhoso patrimônio artístico, cultural e paisagístico que só este país pode oferecer. Estou também no Facebook, Instagram, Twitter e YouTube. Assine a newsletter mensal.

Comments

  1. Oi, Maria. Tudo bem? 🙂

    Seu post foi selecionado para o #linkódromo, do Viaje na Viagem.
    Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com

    Até mais,
    Boia – Natalie

  2. Olá, Natalie,

    Muito obrigada! É sempre uma honra para mim poder ter meu texto no http://www.viajenaviagem.com

    Abraços,

    Maria

  3. […] uma tarde, enquanto estava em Cortina d’Ampezzo, folheei “Set in Cortina“ (Editora Electa), um livro dedicado aos filmes mais famosos […]

  4. Oi Maria, tudo bem?!
    Adorei as dicas de Cortina D’Ampezzo! Estou indo pra lá no início de setembro sozinha e estarei sem carro, você sabe me dizer se existem agências de turismo pra fazer passeios guiados em grupos de bike e trekking onde eu possa me juntar por lá? Sabe o nome de alguma agência que trabalhe com esses passeios?

    Obrigada,
    Carla

  5. graciele dos reis Says: outubro 2, 2016 at 5:10 am

    Olá Maria. Acabei de ler seu post. Muito obrigada por compartilhar sua experiência.
    Estou com dúvida em qual cidade visitar nas Dolomitas: Bolzano ou Cortina D’Ampezzo.
    Iremos no início de maio do ano que vem e vamos ficar apenas 3 dias (o dia da chegada, mais um dia e o dia da saída).
    Não consigo decidir qual cidade é melhor para visitar na primavera.
    Se você conseguir me ajudar, você me salvaria.
    Graciele

    • Olá, Graciele,

      Eu ainda não conheço Bolzano, por isso lhe indico este post de um outro blog que escreveu a respeito da cidade: https://tudoetal.com/2013/02/02/bolzano-e-as-dolomitas/

      Muitas pessoas preferem ficar em Cortina d’Ampezzo ou em outra cidade na província de Belluno por essa área concentrar a maior parte da cadeia montanhosa das Dolomitas. Eu também fiquei em Arabba e escrevi um post com a dica de um ótimo hotel: http://bit.ly/ArabbaDolomitasItalianas

      Vejo comentários muito positivos na internet sobre Bolzano: cidade organizada, limpa e com ótima infraestrutura.

      Espero tê-la ajudado. Depois, se quiser, conte a sua experiência da viagem pra gente aqui no blogue ☺

      Saudações,

      Maria

  6. Cristina Dias Says: junho 17, 2017 at 2:13 pm

    Olá Maria!

    Muito obrigada pela partilha! Adorei o texto que escreveu.

    Vamos, na próxima semana, passar uns dias a Cortina d’Ampezzo e não sabemos muito bem que tempo estará nesta altura. Será que nos pode ajudar? Que tipo de roupa devemos levar?

    Muito obrigada,

    Cristina

    • Olá, Cristina,

      Por enquanto, as temperaturas em Cortina estão oscilando entre 13º e 25º nestes dias…

      A minha dica é levar calça comprida, legging, bermuda, uma jaqueta (principalmente por causa do vento nas montanhas), tênis (melhor os de trekking), moleton.

      Visto que o tempo por aqui muda da noite pro dia, é sempre melhor viajar prevenido e levar roupas para temperaturas um pouco mais frescas.

      À noite, certamente, é necessário estar um pouco mais agasalhado.

      Espero que vocês aproveitem bem Cortina d’Ampezzo.

      Bom sábado e obrigada por gostar das dicas de Cortina ☺

      Maria

  7. Oi Maria, td bem ? Vou para Cortina em janeiro, vc teria informacoes sobre agencias de turismo na cidade ? Procuro tb transfer Bologna – Cortina d’ampezzo… teria alguma indicacao?
    Obrigada,
    Adoro seus posts
    Luciana

  8. Olá Maria.

    Irei viajar para Cortina com minha mãe, que é uma pessoa idosa, queria saber de você se esse tipo de lugar daria para se conhecer a cidade, culinária ou até quem sabe subir de teleférico. Não tenho pretensão de fazer sky, trakking ou algo do tipo, existe muitas atrações na cidade para ela aproveitar, ou é de fato uma cidade para esportistas?

    Obrigado.

    • Boa tarde, Cláudio,

      Dá para passear a pé com sua mãe idosa pelo centro de Cortina, que é bem pequeno, andar de teleférico para ver a paisagem lá de cima e conhecer outros vilarejos na vizinhança, caso alugue um carro ou faça um passeio organizado por alguma agência de lá.

      Cortina é, realmente, mais apropriada para quem pratica algum esporte. Um dia é mais do que suficiente para conhecer o centro e subir de teleférico em alguma estação de esqui.

      Se for no inverno, tenha em consideração a neve nas estradas e, consequentemente, o perigo de se escorregar dirigindo ou caminhando.

      As roupas apropriadas para o período que vocês forem é fundamental!

      Se puder, vá até Serrai di Sottoguda e faça o passeio de trenzinho, como eu fiz: http://viagemitalia.com/dolomitas-italianas-arabba/

      Desejo-lhes uma ótima viagem.

      Maria

  9. Leandro Xavier Says: janeiro 27, 2018 at 1:34 am

    Olá Maria! Parabéns pelas informações. Pretendo passar 1 noite em Cortina na segunda quinzena de Abril. Qual a maneira mais simples de ver um pouquinho de neve nesta época? Consigo em alguma estação? É tranquilo subir de teleférico e conhecer alguma estação de esqui nessa época?

    • Bom dia, Leandro,

      Certamente, em metade de abril, a neve já será pouca, mas tudo depende das condições climáticas do período.

      Alguns teleféricos ainda funcionam em abril e aconselho-o a consultar este site para a abertura dos mesmos: https://www.dolomitisuperski.com/en/ski-area/cortina/lifts

      Sim, é tranquilo subir de teleférico, mas tenha roupas e calçados apropriados para o vento, frio e trekking.

      Espero que aproveite as belezas de Cortina d’Ampezzo e obrigada por seguir as dicas do blogue.

      Bom domingo,

      Maria

  10. Leandro Xavier Says: janeiro 28, 2018 at 1:36 pm

    Obrigado pela resposta! Excelente domingo para você também!

Deixe seu comentário ☺

error: