📜 Códex Leicester de Leonardo da Vinci volta à Itália depois de 20 anos


Arte italiana / Cultura italiana

Depois de vinte anos desde a sua última exibição, volta à Itália o célebre Códex Leicester de Leonardo da Vinci. A obra será exposta entre outubro de 2018 e janeiro de 2019 na Galeria degli Uffizi, em Florença, por empréstimo de seu atual proprietário, Bill Gates.

O bilionário estadunidense comprou o Códex Leicester em 1994, que era de propriedade do empresário do ramo do petróleo Armand Hammer, pelo valor astronômico de 30,8 milhões de dólares.

Códex Leicester de Leonardo da Vinci: em mostra na Galleria degli Uffizi, em outubro de 2018


Código Leicester, de Leonardo da Vinci.

Códex Leicester, de Leonardo da Vinci.

A grande exposição abrirá as celebrações dos 500 anos de morte de Leonardo da Vinci (1452-1519). O manuscrito, que contém principalmente textos de natureza científica, volta à Itália depois de intensas negociações iniciadas em 2015, quando o Códex Leicester era em mostra temporária em Mineápolis, Estados Unidos.

Thomas Cook: Duque de Leicester

Em 1995, foi a última vez que o manuscrito foi exposto na Itália, no Palácio Querini Dubois de Veneza, enquanto a sua última exibição em Florença foi em 1982, durante uma mostra monográfica na qual era a atração principal. O nome “Códex Leicester” deriva de Thomas Coke, o qual, sucessivamente, virou Duque de Leicester e comprou o Códex em 1719.

Trata-se, certamente, do mais celebrado entre os 30 manuscritos científicos atribuídos a Leonardo da Vinci. O Códex detém, até hoje, o recorde de segundo preço de venda mais alto já pago por um livro. Bill Gates comprou-o em um leilão da Christie’s, em 11 de novembro de 1994, por um valor que hoje corresponderia a 50 milhões de dólares.

Algumas páginas do Códex Leicester foram digitalizadas e distribuídas como “wallpaper” em uma versão do sistema operativo Windows 95.

Código Leicester, manuscrito de Leonardo da Vinci

Código Leicester de Leonardo da Vinci.

Quero receber a newsletter mensal de Viagem na Itália

Leonardo da Vinci e a ciência

O título original da obra – 36 folhas frente-retro de dimensões mais ou menos parecidas com a de um papel A4, encadernadas com pele – que trata principalmente de questões de hidráulica, poderia ter sido “Sobre a natureza, o peso e o movimento da água” (tradução livre), e para os curadores da mostra o manuscrito é descrito como um caderno de “anotações, observações e experimentos de uso estritamente pessoal”.

O Códex Leicester fornece uma perspectiva única sobre o método de pesquisa do grande artista renascentista, uma ilustração perfeita do conúbio entre arte e ciência, criatividade e método científico. O documento contém 360 elementos, entre diagramas e desenhos que representam os experimentos de Leonardo da Vinci principalmente no campo hidráulico, mas também no geológico, paleontológico, mecânico e astronômico.

Dentre esses rascunhos de “invenções” leonardescas, há um desenho de um submarino e uma máscara de mergulho.

Breve vídeo sobre o gênio Leonardo da Vinci

Dicas de viagem e turismo na Toscana


*Fonte: Site de Rainews.

*Esta postagem contém links de parceiros afiliados. Leia mais no F.A.Q do blogue.


VIAGEM NA ITÁLIA

Desde 2003, sou residente em Riccione, um balneário turístico na região Emília-Romanha. No fim de maio de 2013, decidi tirar da gaveta a ideia de escrever um blogue com dicas de viagem na Itália, divulgando, assim, o maravilhoso patrimônio artístico, cultural e paisagístico que só este país pode oferecer.

Estou também no Facebook, Instagram, Twitter e YouTube. Assine a newsletter mensal.

Deixe seu comentário ☺

error: