Burgo de Castelmola, acima de Taormina: um dos mais bonitos da Itália


Dicas da Sicília

Quando fui a Taormina, em maio de 2016, um dos primeiros lugares que visitei foi Castelmola, um dos burgos mais bonitos da Itália. Ele fica situado acima de Taormina, mais precisamente a 550 m sobre o nível do mar. Desnecessário dizer que a vista lá de cima é fantástica: Etna, Calábria, Mar Jônico e Golfo de Giardini-Naxos.

Diferentemente da sua vizinha taorminese, a qual já sofre com o turismo de massa, Castelmola ainda preserva, de um certo modo, a paz de um típico vilarejo siciliano.

Passear pelas suas ruazinhas e visitar as ruínas do castelo-fortaleza tranquilamente só me fez perceber o quanto é valiosa a tradição histórico-cultural desse lugar que deve, e merece, ser apreciado com calma e com menos superficialidade.

Um pouco de história de Castelmola, burgo acima de Taormina, Sicília


Antigamente Castelmola se chamava Myle. O nome atual deriva do castelo normando que sobrepõe o centro urbano e da forma da fortaleza sobre a qual se encontra, vagamente parecida com um mó de moinho.

396 a.C.: Os Sículos substituem as antigos muros de pedra com bastiões mais rigorosos em vista de um ataque de Dionísio, tirano de Siracusa, que conquista a cidade em  392. 263 a.C. Gerone de Siracusa obtém de Roma a legitimação para governar. Na sua morte, em 214, Myle mantém a sua fidelidade a Roma.

902: O feroz Ibrahim, príncipe de Cairouàn, consegue superar as fortificações, devasta a cidade, massacra os habitantes e depois abandona Myle pela porta que, desde então, é conhecida como “Dos Sarracenos”.

1078: Ruggiero, o Normando, vence os Árabes e os expulsa de Val Demone. Constrói um novo centro habitado em torno do castelo e o fortifica. É nesse período que o burgo começa a se chamar Mola.

Castelmola, perto de Taormina, Sicília

Pracinha da catedral e fachada lateral desta última.

Guerra entre famílias

1282: A família real de Casa de Anjou-Sicília é expulsa da fortaleza e a população se rebela contra os Aragoneses. Os séculos seguintes são difíceis para os moradores, oprimidos pelo mal governo espanhol que os submete a rígidos impostos, sacrifícios e renúncias de todos os tipos.

1738: Castelmola passa a fazer parte do Reino das Duas Sicílias.

1860: O exército borbônico escapa e a população vota pela incorporação ao Reino de Itália.

Castelmola, acima de Taormina, Sicília

Igrejinha de São Jorge e uma das ruazinhas de Castelmola.


O que ver em Castelmola, perto de Taormina


Varanda natural sobre Taormina, de Castelmola podemos admirar plantações de figo da índia, o vulcão Etna com as casas construídas aos seus pés, a Costa Jônica, o Golfo de Giardini-Naxos, o Capo de Sant’Alessio, o estreito de Messina e a costa da Calábria.

Na praça principal de Castelmola, dá para se perceber o antigo assentamento medieval. Portas e janelas são emolduradas com pedras de Taormina, as cores das casas variam entre amarelo, bege e um rosa antigo, a decoração urbana é bem cuidada, assim como a toponomástica, os números das casas e as placas indicativas são de pedra e ferro batido.

Castelmola, acima de Taormina, Sicília

Foto superior: Golfo de Giardini-Naxos. Abaixo: Costa da Calábria e Mar Jônico.

A entrada do burgo de Castelmola

O antigo arco, que é o ingresso do burgo, ficou isolado depois da construção da Praça Sant’Agostino em 1954: os degraus de pedra calcária sobre o qual é colocado destaca a sua beleza. A praça, realizada com mosaicos de pedra branca lávica, consagra a atmosfera siciliana na calçada arborizada com bancos de pedra para se apreciar a vista de Taormina.

No passado, entrava-se no burgo de Castelmola através de uma porta escavada na rocha que combinava com uma escadaria monumental, também realizada com pedra branca lávica, e que, em 1927, foi colocada no ingresso do castelo durante as obras de construção da estrada para Taormina.

Castelmola, perto de Taormina, Sicília

Ruazinhas do burgo e detalhe da fachada anterior da catedral.

Igrejas, praças, cafeteria

A igreja de Santo Antonino, que virou o auditório municipal, é bem antiga e dá de frente para a praça, ao lado, infelizmente, de uma construção que tira o seu esplendor (farmácia e ponto de informações turísticas) e corta a sua continuidade com a Casa Sterrantino.

Ainda na Praça Sant’Agostino, está o histórico Caffé San Giorgio, fundado no século XVIII pelos monges e transformado em taberna. Um álbum contém dedicatórias de figuras ilustres que já passaram pelo burgo de Castelmola desde 1907.

Do castelo-fortaleza sobraram somente os robustos muros normandos. Uma lápide de mármore na fachada da catedral com incisões greco-bizantinas do século X lembra: “Este castelo foi construído sob Constantino, patrício e guerreiro da Sicília” (tradução livre).

Castelmola, acima de Taormina, Sicília

O antigo arco de entrada do burgo de Castelmola

A luta contra os árabes invasores

Deveria ser Constantino Caramalo, último guerreiro de Taormina que, no século IX, predispôs a defesa contra os Árabes. Já no cume do arco da porta de ingresso do castelo está escrito: “Castelo fiel à Sua Majestade – Ano 1578”.

De qualquer forma, é certa a importância da Fortaleza de Mola na Idade Média e nas guerras entre franceses e espanhóis. Descendo a fortaleza, chega-se à Via De Gasperi, a principal do burgo que liga a Praça Sant’ Antonino com a zona sul.

Na Piazza Duomo, vê-se a igreja Madre que, em 1934, recobriu com novas formas os estilos precedentes que vão do românico ao gótico. No seu interior, estão quatro altares de mármore, um de frente para o outro, um púlpito e uma estátua de madeira da Madalena.


Leia minhas outras dicas da Sicília.


Castelmola, perto de Taormina, Sicília

Restos do antigo muro normando do castelo-fortaleza e campanário da Catedral de Castelmola.

Catedral de Castelmola

O ingresso principal da Catedral de Castelmola é lateral em relação à praça e tem uma linda vista para o Etna e o Golfo de Naxos. No atalho que leva para Taormina, está a pracinha-belvedere com a pequena e simples igreja de San Biagio, a primeira que foi construída em Castelmola depois da chegada de San Pancrazio em Taormina para ali levar a religião cristã.

Há também as cisternas de água de 367 a.C. e a antiga “Porta Saraceni” no longo percurso pedonal chamado de Via dei Saraceni ou Piano delle Ficare – nome derivado da presença de figos-da-índia.

Para terminar o passeio pelo burgo, a igreja de São Jorge, construída por volta de 1450. É de se notar o seu cancelo de ferro batido da entrada . Há também a igrejinha da Anunciação, edificada por volta de 1100 pelo normando Rei Ruggiero para agradecer Nossa Senhora pela vitória sobre os Sarracenos.

Castelmola, acima de Taormina, Sicília

Quando visitei o castelo, estava tendo uma exposição de fotografias no seu museu. Atrás de mim, plantação de figo-da-índia, uma parte de Taormina e o Mar Jônico.

Produtos típicos de Castelmola

Castelmola é a pátria do vinho de amêndoas (vino alla mandorla). Don Vincenzo Blandano, dono do antigo Caffé San Giorgio, oferecia-o como sinal de bem-vindo às pessoas que escalavam a colina de Mola. Assim, ele pode ser considerado o seu inventor. É feito com amêndoas e essência de laranja. Além disso, há pão e macarrão caseiro, mel,  cuddure (roscas típicas de Páscoa feitas com ovo), amêndoas açucaradas, mostarda, figo seco, vinho, óleo, alcaparras, etc.

Este burgo é um dos mais bonitos da Itália e fica acima do centro histórico de Taormina. #viagemnaitalia

Una foto pubblicata da Viagem na Itália (@viagem_italia) in data:


Como chegar ao burgo de Castelmola, acima de Taormina, Sicília

A pé: Para quem tem disposição, existe uma trilha que liga Taormina a Castelmola. Até queria fazê-la, porém não tinha tempo Obtenha mais informações no hotel em que for ficar hospedado(a) ou no ponto de informações turísticas de Taormina.

De ônibus: Na rodoviária de Taormina, pegar o ônibus que leva até Castelmola (foi o que eu fiz). O trajeto dura cerca de 15 minutos. Passagem só de ida: 1,90 euros. Ida e volta: 3 euros

Atenção! Só é possível comprar a passagem de ida e volta no guichê da rodoviária de Taormina. A bordo só dá para comprar uma única viagem. Dica para economizar 0,80 centavos de euros

Há também o ônibus turístico Taormina Hop On.

De carro: Preste bastante atenção na estrada sinuosa e estreita que liga Taormina a Castelmola. Aproveite e alugue seu carro com nosso parceiro RentalCars pelos melhores preços.


Quero receber a newsletter mensal de Viagem na Itália


Lojinha da Sicília


*Referência bibliográfica: Site “I Borghi più Belli d’Italia”.

** Esta postagem contém links de parceiros afiliados. Saiba mais sobre a Política de Monetização do blogue.


VIAGEM NA ITÁLIA

Desde 2003, sou residente em Riccione, um balneário turístico na região Emília-Romanha. No fim de maio de 2013, decidi tirar da gaveta a ideia de escrever um blogue com dicas de viagem na Itália, divulgando, assim, o maravilhoso patrimônio artístico, cultural e paisagístico que só este país pode oferecer. Estou também no Facebook, Instagram, Twitter e YouTube. Assine a newsletter mensal.

Comments

  1. Olá,

    Eu e meu marido visitamos Castelmola no ano passado e adoramos! Gostamos mais dele do que Taormina.

    Sim, Taormina é bonita, mas tava lotada de turistas, o que estraga um pouco a beleza da cidade. Melhor os lugares que tem menos empurra-empurra de pessoas!

    Parabéns pelas informações históricas de Castelmola. É sempre bom aprender.

    Abraços,

    Lúcia M. Costa

Deixe seu comentário ☺

error: