✅ Dica de bate-volta de Roma: burgo e Lago de Nemi, área dos Castelos Romanos


Dicas de Roma, Vaticano e arredores

Em 2016, tive a oportunidade de conhecer o Museu dos Navios de Calígula, às margens do Lago de Nemi, mas não pude conhecer o burgo porque chovia muito no dia da minha visita à cidade.

Assim, em setembro de 2017, retornei a Nemi para conhecer o seu pequeno centro histórico, e indico esse bate-volta de Roma a todos aqueles que desejam conhecer uma Roma além dos pontos turísticos tradicionais.

Burgo e Lago de Nemi, área dos Castelos Romanos


Burgo de Nemi, Roma

Centro histórico do burgo de Nemi.

Nemi está situada nos arredores do homônimo lago, área dos Castelos Romanos. A cidadezinha é dividida em uma parte mais antiga, chamada de Pullarella, e aquela mais moderna, com transformações que ficaram evidentes, sobretudo a partir do século XVII com a nobre família Frangipane.

Nemi tem uma história muito antiga e o seu território, no passado, pertencia à cidade latina de Aricia e, segundo a tradição, foi fundada por Hipólito, filho de Teseu.

Nemi = bosque

Apalavra “Nemi”, de origem latina “nemus”, significa “bosque”, e com o nome de “Nemus Dianae” era conhecido o Templo de Diana (deusa da caça, mas também dos bosques) nas margens do lago, onde surgia o seu templo.

Os testemunhos gregos e romanos são muitíssimos, como demonstra também o Templo de Diana Aricina ou Nemorense, dedicado à deusa da caça às margens setentrionais do Lago de Nemi, além da mansão de Júlio César, da qual falam Cícero e Suetônio.

O grande general romano, não satisfeito, mandou destruir a mansão, mas esta continuou a ser habitada até o terceiro-quarto século.

Centro do burgo de Nemi.

Calígula e seus navios de luxo no Lago de Nemi

Há também a prova do canal artificial, o qual remonta ao século V a.C e antecede o domínio dos romanos, que percorre Vallericcia até Ardea, onde desemboca no mar, passando por Cecchina.

Até hoje dá para visitar inteiramente esse canal artificial.

Com a dominação romana, Nemi cresceu bastante e, segundo a tradição, foi Calígula que mandou construir dois grandes navios como palácios flutuantes, no homônimo lago, os quais foram afundados quando esse imperador romano morreu.

Museu dos Navios do Imperador Calígula, Nemi, Itália

Devido ao incêndio, só é possível ver os restos que sobraram dos barcos de Calígula, no Museu dos Navios de Nemi.

Nemi, a partir da Idade Média

Na Idade Média, Nemi voltou aos refletores somente no século IX-X secolo, com a edificação do castelo. Posteriormente, a família dos Conti di Tuscolo se apropriou da comunidade inteira e, depois, foi a vez da família Frangipane. Mais tarde, Nemi com o seu castelo foram concedidos aos monges cistercienses.

Nos séculos sucessivos, o burgo foi de propriedade da família Borgia, dos Colonna e, novamente, dos Frangipane, até virar um destino popular para o “Grande Tour” dos visitantes europeus.

Com a dominação fascista, foram também encontrados dois navios de Calígula, os quais, infelizmente, foram destruídos por um incêndio, talvez provocado pelos alemães em 1944.

Leia mais dicas de Roma, Vaticano e arredores

O lindo jardim à italiana que dá para o Lago de Nemi.

Atividades comerciais de Nemi

A agricultura era, desde os tempos antigos, a atividade prevalente em Nemi, considerando a fertilidade natural dos terrenos do antigo Vulcano Laziale.

Nessa área, de modo especial, são produzidas cebolas, mel, óleo e, sobretudo, morangos. Também merece destaque a pesca no Lago de Nemi, principalmente de moreias, atherinas e barbos.

Hoje o turismo está substituindo lentamente as outras atividades comerciais de Nemi, apesar de a tradicional hospitalidade ter origens bem antigas, tanto que, pela sua beleza, esse lugar já era renomado desde os tempos da Antiga Roma.

Junho: Festa dos Morangos e das Flores

O burgo de Nemi é muito visitado em junho, principalmente no primeiro domingo, quando acontece a Festa dos Morangos e a Festa das Flores.

Nemi, do ponto de vista turístico, oferece várias propostas interessantes, como as suas mil trilhas, dentre as quais a de Via Francigena do Sul, o périplo do Lago de Nemi, o itinerário de Nemi até Genzano, a Via Sacra dentro do parque, e as atividades esportivas, como bicicleta, moutain bike e equitação.

Visão do Lago de Nemi a partir do burgo.

Como chegar ao burgo de Nemi, área dos Castelos Romanos


O melhor meio de transporte para ir até Nemi é o carro.

Do centro de Roma até o Lago de Nemi, pelo percurso mais breve, são quase 33 km e 1 h de viagem.

Na estrada para Nemi, temos a vista do Lago Albano e de Castel Gandolfo, no alto do monte.

Minha dica é

Aproveite para combinar no mesmo passeio o Lago de Nemi com o burgo de Castel Gandolfo, ambos na região dos Castelos Romanos.

Quero receber a newsletter mensal de Viagem na Itália

*Fonte: Site Paesi on line.

**Este post faz parte do Projeto #experienceRome.


VIAGEM NA ITÁLIA

Desde 2003, sou residente em Riccione, um balneário turístico na região Emília-Romanha. No fim de maio de 2013, decidi tirar da gaveta a ideia de escrever um blogue com dicas de viagem na Itália, divulgando, assim, o maravilhoso patrimônio artístico, cultural e paisagístico que só este país pode oferecer. Estou também no Facebook, Instagram, Twitter e YouTube. Assine a newsletter mensal.

Deixe seu comentário ☺

error: