Salas Monumentais da Biblioteca Marciana, Veneza, uma das mais antigas do mundo


Dicas de Veneza

Visitei as Salas Monumentais da Biblioteca Marciana, Veneza, no mesmo dia em que fiz a visita guiada à Torre do Relógio, na Praça São Marcos: o mesmo ingresso para a Torre consente visitar também as Salas Monumentais, o Museu Correr e o Museu Arqueológico Nacional de Veneza (mais informações no fim deste texto).

Já há tempos que queria visitar essa biblioteca, principalmente depois de ter escrito sobre 15 bibliotecas imperdíveis na Itália. Se você também se interessa por esse tipo de lugar, leia abaixo algumas informações históricas e úteis sobre essa atração veneziana.

Salas Monumentais da Biblioteca Marciana em Veneza: um pouco de arte


Curiosidades da Biblioteca Marciana, Veneza

Visão de um dos salões da Biblioteca Nacional Marciana, Veneza.

As Salas Monumentais da Biblioteca Marciana permitem conhecer a beleza da antiga Livraria de São Marcos, realizada em grande parte por Jacopo Sansovino e completada por Vincenzo Scamozzi: dotada de uma extraordinária Escada de Honra, de um Vestíbulo, transformado depois em Público Estatuário, do Salão adaptado à Biblioteca e da riquíssima decoração, compõe um percurso histórico-artístico de grande interesse.

O Salão

Do Vestíbulo se passa através de um portal nobre para a sala da Livraria, o verdadeiro santuário dos livros, construída propositalmente para guardar a coleção do cardeal Bessarione.

Os volumes foram colocados inicialmente em prateleiras de madeira e, muitas vezes, eram acorrentados a essas últimos. Posteriormente, armários postos perto das paredes aumentaram o espaço para a conservação dos livros.

Para a biblioteca, os Procuradores de São Marcos, também sob o conselho de Aretino, de Ticiano e do círculo influente da família Grimani, optaram por realizar dois importantes ciclos decorativos:

  • Ciclo decorativo das paredes, no qual há retratos de Filósofos realizados por Paolo Veronese, Jacopo Tintoretto e outros;
  • Ciclo decorativo do teto, composto por 21 medalhões realizados por Andrea Schiavone, Paolo Veronese, Battista Zelotti, Giulio Licinio, Battista Franco, Giuseppe Salviati e Giovanni De Mio.
Como visitar a Biblioteca Marciana em Veneza

O lindo teto.

Iconografia

Enquanto a iconografia da escada era dedicada à sabedoria e à vida contemplativa, os temas escolhidos pelos artistas envolvidos na decoração do teto eram sobre a vida ativa: o saber conservado no espaço da Livraria devia ser usado para operar na vida prática o bem público.

Na curva do teto, há também 52 quadros realizados por Battista Franco.

No centro do salão sansoviniano, estão colocados dois globos de Vincenzo Coronelli: um globo terrestre (Veneza 1688, diâmetro cm. 108) e um globo celeste (Veneza-Paris 1688-89, diâmetro cm. 108).

Durante a vida da Biblioteca, a necessidade de incrementar os livros e de construir  prateleiras novas mais altas levou à redução do número de quadros dos filósofos e, em 1763, esses foram levados para o Palácio Ducal de Veneza.

Sob a administração francesa, a Biblioteca e o Estatuário foram transferidos para o Palácio Ducal com decreto régio de 29 de agosto de 1811.

Dicas da Biblioteca Marciana, Itália

Pinturas no teto do salão.

Artistas que trabalharam na decoração da Biblioteca

No Salão, precisamente nas laterais da porta de entrada, há duas telas de Jacopo Tintoretto, “ O Roubo do Corpo de São Marcos” e “São Marcos que salva um Sarraceno do Naufrágio”, provenientes da Escola Grande de São Marcos.

Nas paredes laterais esquerdas, foi colocado um grande quadro de Antonio Molinari (1655 – 1704), “David precede a Arca”, enquanto em frente à porta de entrada está “Saul que oferece um sacrifício”, do mesmo pintor.

Em 1924, a Biblioteca, que desde 1904 estava instalada na ex-Casa da Moeda do Estado Vêneto, reouve também a Livraria Sansoviana, a qual foi inaugurada em 1929 após três anos de restauro, e foram reposicionados os quadros dos filósofos e removidas as telas de Molinari e de Tintoretto.

Os espaços vazios foram decorados pelo pintor Giovanni Costantini. Na sala foi instalada uma mostra permanente de cimélios e obras raras.

A partir dos anos 80, e continuando nos anos posteriores, o Scalone Sansoviniano e as telas da Livraria foram restaurados.

Desde 1999, as Salas Monumentais da Biblioteca Marciana fazem parte do percurso integrado dos Museus da Praça São Marcos.

História da Biblioteca Marciana, Veneza, Itália

Mapa-múndi.

As paredes

Nas paredes, foram colocados entre 1562 e 1572, vários retratos de antigos Filósofos para recriar um ambiente igual àquele das bibliotecas da Antiguidade.

Desse ciclo, participou também o grande excluído da decoração do teto, Tintoretto, que já estava envolvido  na decoração do Vestíbulo e cujas telas foram espalhadas por várias coleções hoje em dia.

Os dois Filósofos ao lado do portal são de Paolo Veronese.

Na parede esquerda, os dois primeiros retratos são de Schiavone. Seguem quatro Filósofos de Tintoretto (o mais admirado de seus Filósofos era Diógenes, o penúltimo da parede esquerda).

Na parede direita: a Fé, de escola veronesiana, Prometeu, de Giuseppe Porta, dito o Salviati; o profeta Jeremias, do mesmo artista; um Filósofo, de Battista Franco; um Filósofo, de Lambert Sustris; a Caridade, de escola veronesiana.

O teto

O teto, por importância e pelo número de obras, foi definido a manifestação do maneirismo em Veneza.

Os artistas para a decoração do teto, que foram escolhidos pelos Procuradores de São Marcos de acordo com Sansovino e Ticiano, declararam unanimamente que o melhor dentre eles era Veronese: os Procuradores doaram a esse artista, em sinal de gratidão, uma corrente de ouro (assim narra Ridolfi, que viu a corrente de ouro na casa de um parente de Veronese).

Informações sobre a Biblioteca Marciana Veneziana

Salão da biblioteca veneziana.

Glória da Marciana

Em 1960, o diretor cinematográfico Emilio Marsili, para a Corona Cinematografica, produziu um filme de duração de 14 minutos sobre a história da Biblioteca Marciana, hoje conservado na Cineteca de Bolonha.

Para ver o filme, acesse este link.


Como visitar as Salas Monumentais da Biblioteca Nacional Marciana de Veneza


As Salas Monumentais são acessíveis a partir da entrada do Museu Correr (Praça São Marcos, Ala Napoleônica) com o ingresso único dos Museus de Praça São Marcos (válido para o Museu Correr, o Museu Arqueológico Nacional, as Salas Monumentais da Biblioteca Nacional Marciana e o Palácio Ducal).

 Horários

1º de abril a 31 de outubro: 10.00 – 19.00 (bilheteria: 10.00 – 18.00)

1º de novembro a 31 de março: 10.00 – 17.00 (bilheteria: 10.00 – 16.00).

Fechado em 25 de dezembro e 1º de janeiro.

Visitas guiadas somente com reserva contatando o seguinte telefone: +39.041.24.07.238 (horário comercial).

Ingressos

Para quem fará a visita guiada à Torre do Relógio

Inteiro: 12 euros

Reduzido: 7 euros (6 a 14 anos, estudantes de 15 a 25 anos, idosos acima de 65 anos, quem comprou ingressos para os Museus de Praça São Marcos, o Museum Pass, ingresso para o Itinerário Secreto do Palácio Ducal ou para “Os Tesouros Escondidos do Doge”, etc.).

Gratuito: Crianças até 5 anos, deficientes físicos com acompanhante.

Quem compra o ingresso para a Torre do Relógio tem direito a entrar gratuitamente no Museu Correr, Museu Arqueológico Nacional e nas Salas Monumentais da Biblioteca Marciana.

Para quem visitará o Palácio Ducal

Inteiro: 19 euros

Reduzido: 12 euros (6 a 14 anos, estudantes de 15 a 25 anos, idosos acima de 65 anos).

Gratuito: Crianças até 5 anos, deficientes físicos com acompanhante.

Ingresso válido para o Palácio Ducal, Museu Correr, Museu Arqueológico Nacional e as Salas Monumentais da Biblioteca Marciana.

Para mais informações, eis o site oficial da Biblioteca Marciana.

Aproveite melhor a sua viagem e faça um tour privado em português em Veneza


 Leia minhas outras dicas de Veneza.


Quero receber a newsletter mensal de Viagem na Itália


Serviços turísticos em Veneza


*Referência bibliográfica: Biblioteca Nazionale Marciana.

**Esta postagem contém links de parceiros afiliados. Saiba mais sobre a Política de Monetização do blogue.


VIAGEM NA ITÁLIA

Desde 2003, sou residente em Riccione, um balneário turístico na região Emília-Romanha. No fim de maio de 2013, decidi tirar da gaveta a ideia de escrever um blogue com dicas de viagem na Itália, divulgando, assim, o maravilhoso patrimônio artístico, cultural e paisagístico que só este país pode oferecer. Estou também no Facebook, Instagram, Twitter e YouTube. Assine a newsletter mensal.

Comments

  1. […] Leia minha postagem sobre as Salas Monumentais da Biblioteca Marciana. […]

Deixe seu comentário ☺

error: