📚 A biblioteca mais antiga do mundo: Biblioteca Capitolare de Verona


Cultura italiana

Depois da destruição das famosas bibliotecas de Alexandria e de Pérgamo, a Biblioteca Capitolare de Verona é a biblioteca mais antiga do mundo ainda em funcionamento.

A Capitolare tem origens na Schola Sacerdotum Sanctae Veronensis Ecclesiae (isto é, do Capítulo Canonical da Catedral), que tinha a dupla função de prestar serviço litúrgico na Catedral e de preparar culturalmente os novos sacerdotes.

Se quiser conhecer uma Verona além da Arena e da Casa de Julieta, aproveite para visitar a Biblioteca Capitolare

Biblioteca mais antiga do mundo: Capitolare de Verona


O Palácio do Canonicato, situado à esquerda da Catedral de Verona, abriga nas suas salas o Museu Canonical e a Biblioteca Capitolare.

É sabido que a oficina de livros (Scriptorium) era ativa em 1º de agosto de 517, quando reinava na Itália o imperador Teodorico, o Grande.

Essa data foi inserida por um sacerdote amanuense num códice da Capitolare, o qual ele tinha apenas terminado de transcrever: um precioso manuscrito sobre a vida de São Martinho e de São Paulo ermitão, conservado até hoje na Capitolare.

Documentos do século V guardados na Biblioteca Capitolare

Esse códice, porém, não é o documento mais antigo da biblioteca.

Suas salas milenárias também preservam até hoje as Instruções de Gaio, único texto de direito romano, praticamente intacto, que restou até hoje em todo o mundo, além de uma seção do De Civitate Dei, de Santo Agostinho, contemporânea ao autor (século V), e o Evangeliario Purpureo, sempre do século V.

Biblioteca Capitolare de Verona: a biblioteca mais antiga do mundo

Uma miniatura que representa os Reis Magos em Belém, contida nos “Corali Turoniani“, século XIV.

Os vários manuscritos presentes confirmam também que a oficina dos livros foi muito ativa durante os séculos sucessivos, em particular no século IX sob a direção do Arquidiácono Pacífico.

Um homem de grande cultura e versátil em todos os campos do saber que deu um impulso notável ao scriptorium, no qual foram compostos bem 218 volumes: um número incrível para aquela época, quando bastava uma centena de volumes para formar uma verdadeira biblioteca.

Dante Alighieri e Francesco Petrarca na Capitolare de Verona

No século XIII, a Biblioteca Capitolare começou a ter as formas características de uma biblioteca, com ambientes para a conservação, estudo e consulta.

Os Canônicos da Catedral tinham uma tal quantidade de volumes, sobre vários assuntos, que podiam até emprestá-los para outras igrejas e, assim, ajudar na formação do Clero.

Cóide Ursicino, Biblioteca Capitolare de Verona, a mais antiga ainda em funcionamento no mundo.

Códice Ursicino, de 1º de agosto de 517.

As suas salas tornaram-se um centro de agregação cultural, como prova a presença de Dante Alighieri (1320) e de Francesco Petrarca (1345): este último encontrou um códice de cartas de Cícero (para Ático, Quinto, Bruto) que o incentivou a fazer renascer o gênero literário dos epistolares.

A biblioteca ficou ativa até o século XVII, quando desapareceu a parte mais antiga da coleção que tinha sido destinada a receber uma nova dependência: em 1630, a peste atingiu Verona, matando quase dois terços da população, incluindo o bibliotecário que escondera os manuscritos preciosos.

A grande descoberta de Scipione Maffei

Os manuscritos foram encontrados somente em 1712, após uma cuidadosa pesquisa feita por Scipione Maffei. O interesse despertado por essa descoberta estimulou a construção da nova sede da Biblioteca Capitolare que, em 1781, foi ampliada para receber as doações que recebia.

Depois de ter superado a cobiça de Napoleão Bonaparte, que roubou diversos manuscritos preciosos para colocá-los na Biblioteca Nacional de Paris, a inundação de 1882, que encheu de lama os seus pergaminhos, e os bombardeios anglo-americanos de 1945, que a atingiram gravemente, até hoje a Biblioteca Capitolare de Verona conserva em seus arquivos mais de 1200 manuscritos, 245 incunábulos, 2550 cinquecentine, 2800 seicentine, 11000 pergaminhos e mais de 72000 volumes.

A Biblioteca Capitolare de Verona tem um grande valor econômico, mas, sobretudo, cultural para toda a humanidade.

Quero receber a newsletter mensal de Viagem na Itália

Visitas guiadas na Biblioteca Capitolare de Verona


Bilbioteca mais antiga do mundo: Capitolare de Verona, Vêneto, Itália.

Fachada da Biblioteca Capitolare de Verona, Itália. Foto: Divulgação.

Leia também: Bibliotecas italianas.


* Fonte: La Storia Viva.

** Esta postagem contém links de parceiros afiliados. Saiba mais no F.A.Q do blogue.


VIAGEM NA ITÁLIA

Desde 2003, sou residente em Riccione, um balneário turístico na região Emília-Romanha. No fim de maio de 2013, decidi tirar da gaveta a ideia de escrever um blogue com dicas de viagem na Itália, divulgando, assim, o maravilhoso patrimônio artístico, cultural e paisagístico que só este país pode oferecer.

Estou também no Facebook, Instagram, Twitter e YouTube.
Assine a nossa newsletter mensal.

Deixe seu comentário ☺

error: