🍗 Você sabia que o aperitivo foi criado no Império Romano?


Cultura italiana / Gastronomia italiana

Antes de ler sobre como o aperitivo foi criado pelos antigos romanos, é importante saber a definição da própria palavra aperitivo, que deriva do latim aperitivu.

(a.pe.ri. ti.vo)

Adjetivo: Que abre o apetite; APERIENTE

Substantivo masculino: Qualquer alimento que abre o apetite, que ger. se consome antes da refeição principal; ACEPIPE; PETISCO.

Bebida alcoólica que se toma antes da refeição, supostamente para abrir o apetite.

Dicionário Aulete

Guia brasileira na Itália. Maria Arruda

O aperitivo foi criado no Império Romano: gustatio ou promulsis


O aperitivo foi criado no Império Romano

Banquete na Roma Antiga. Imagem: Wikipédia.

O nosso famoso aperitivo de cada dia já andava de moda há 2000 anos, na Antiga Roma. Os romanos ricos tinham o costume de antecipar o jantar com bebidas alcoólicas e vários petiscos.

Era a hora do gustatio: um momento previsto nos banquetes mais suntuosos, com vários convidados, criado para estimular o apetite com antepastos saborosos acompanhados de mulsum, um vinho de alto teor alcoólico aromatizado com mel.

Antepasto do banquete romano: gustatio ou promulsis

O costume de abrir uma refeição com alimentos diferentes é bem difundida e faz parte da tradição da alta gastronomia e daquela popular. Um cardápio descritivo do almoço de Filoxeno consente-nos conhecer algumas comidas da cozinha grega do século IV a.C.

Dentre essas, encontramos um tipo de “antepasto”, e lemos que, para estimular o apetite, foram servidas iguarias leves.

O “gustatio“, verdadeiro e próprio antepasto, era oferecido pelos antigos romanos no início do jantar.

Esses alimentos eram chamados por Cícero de “promulsis” porque, no início do banquete, havia o costume de beber o mulsum.

Vinho muslum, bebido antes dos banquetes.

Deus Bacco.

Como era o café da manhã, almoço e jantar no Império Romano?

O antepasto

Os antepastos eram representados por alimentos suculentos e estimulantes, especialmente hortaliças, que eram acompanhadas por molhos acres e picantes.

Desde aqueles tempos, observou-se que se o banquete fosse iniciado com saladas mistas de verduras cruas, estas ajudavam o sistema digestivo a receber os outros alimentos.

Segundo Cícero, os antepastos podiam ser finalizados com linguiça, ostras e frutos do mar, e, de qualquer forma, o prato ritual era o ovo cozido.

Após as invasões bárbaras, durante a alta Idade Média, perdeu-se o costume do antepasto e os banquetes eram iniciados diretamente com a carne.

A palavra “antepasto” aparece pela primeira vez no século XVI, em um texto de Agnolo Firenzuola, e, sucessivamente, por outros autores.

Leia também: Gastronomia italiana

O aperitivo moderno

Todavia, somente no século XVIII, essa moda começou a se propagar indistintamente em todas as classes sociais, exatamente em 1786, quando, em Turim, o destilador piemontese Antonio Benedetto Carpano criou o famoso Vermut, a bebida por excelência consumida nos aperitivos.

Obtido do vinho branco moscado aromatizado com mais de 30 variedades de ervas e especiarias, o Vermut conquistou em pouco tempo o paladar do público, graças também ao seu preço acessível, o que favoreceu a sua larga difusão.

O aperitivo foi criado no Império Romano

A bebida Vermut.

Quero receber a newsletter mensal de Viagem na Itália


*Fontes: Focus Cultura e Taccuini Storici.

**Esta postagem contém links de parceiros afiliados. Saiba mais no F.A.Q do blogue.


VIAGEM NA ITÁLIA

Desde 2003, sou residente em Riccione, um balneário turístico na região Emília-Romanha. No fim de maio de 2013, decidi tirar da gaveta a ideia de escrever um blogue com dicas de viagem na Itália, divulgando, assim, o maravilhoso patrimônio artístico, cultural e paisagístico que só este país pode oferecer. Estou também no Facebook, Instagram, Twitter e YouTube. Assine a newsletter mensal.

Deixe seu comentário ☺

error: